clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

terça-feira, 29 de novembro de 2011

DO FUNDO DO BAÚ

   
    
    Entre 1990 e 1996, foi publicada no Brasil com a chancela da Abril Jovem a série "Batman Anual". Ao contrário, porém, do que o respetivo título indica, a sua periodicidade nem sempre foi anual, daí resultando que durante os seus seis anos de existência hajam sido produzidos apenas cinco números. Acontece que entre o primeiro volume (novembro de 1990) e o segundo (janeiro de 1992), houve um interregno de mais de um ano, o mesmo sucedendo entre o lançamento do segundo e o do terceiro (novembro de 1994). Nem este nem o quarto e quinto volumes foram alguma vez publicados em Portugal.
     Tratavam-se de edições especiais inicialmente com 164 páginas (reduzidas para 100 nos três últimos números) que apresentavam histórias selecionadas e inéditas do Homem-Morcego.
     Em "Batman Anual nº3", os fãs do Cavaleiro da Trevas tiveram a oportunidade de ler duas boas histórias numa edição que tinha ainda a particularidade de possuir duas capas invertidas (o mesmo é dizer um lado A e um lado B).
     A primeira história, intitulada "Imagens", foi escrita por Denny O'Neil e ilustrada por Bret Blevins, correspondendo a Batman: Legends of the Dark Knight nº50 (1989). Nela, é revisitado o primeiro contacto do Homem-morcego com o seu eterno némesis, o Joker (ou Coringa na versão brasileira) quando este ainda era um ilustre desconhecido que se procurava afirmar no submundo do crime. Para esse efeito, o Palhaço do Crime arquiteta um ignóbil plano de extorsão e assassínio de vários membros proeminentes da sociedade de Gotham City. Face à incapacidade  de Batman - que não o reconhece no primeiro encontro de ambos, deixando-o por isso escapar-se - em detê-lo, o Joker consegue cometer vários homicídios graças a um mortífero veneno desenvolvido por Melvin Reipan, um seu pretenso primo que, apesar de genial em Química, tem a mente de uma criança.
     Fazendo uso dos seus talentos detetivescos, Batman consegue não só descobrir a antiga identidade do Joker como travar a sua ameaça antes que mais vidas sejam tiradas.


        "Votos", a segunda história do volume, narra os atribulados preparativos para o segundo casamento do Comissário Gordon sendo portanto a intriga centrada nele. Os créditos do argumento cabem novamente a Denny O'Neil e a arte é de Michael Netzer. Originalmente, a história foi publicada em Batman: Legends of the Dark Night Annual nº2 (1992)
        Quando se preparavam para comprar o vestido de noiva, Gordon e a sargento Sarah Essen ( a futura esposa) são surpreendidos em plena loja por dois bandidos. Um deles é um velho conhecido do Comissário. Trata-se de Flass, um polícia corrupto expulso da corporação graças a Gordon. Tem por isso contas a ajustar com ele e fá-lo de uma forma brutal: espancando-o e intimidando Sarah. As cenas de violência foram primorosamente ilustradas por Netzer, propiciando uma leitura dinâmica (quase como se assistíssemos a um filme).
         Não contente, Flass intima o comissário para ele eliminar as provas incriminatórias contra um juiz candidato a mayor de Gotham City. Caso contrário, o filho de Gordon, Jimmy (já antes sequestrado) será lançado ao rio conforme aconteceu na primeira ocasião.
        Gordon contudo recusa-se a ceder e envia para vários órgãos de comunicação social os documentos que incriminam o juiz. Posto isto, parte no encalço de Flass para tentar reaver o filho, apesar dos protestos da noiva. Desesperada, Sarah convoca Batman, embora reprove os seus métodos.
        O Cavaleiro das Trevas encontra e liberta o filho de Gordon que se encontra são e salvo. Entretanto, o comissário também encontrou Flass a bordo de um iate propriedade de Gleam (um maníaco viciado em oxigénio puro para quem Flass trabalhava). Com ele estava o juiz corrupto e não tarda a chegar também a sargento Essen. Vendo uma oportunidade única para eliminar provas contra si, Gleam manda explodir a embarcação, ficando o grupo encurralado no seu interior. Entre a vida e a morte, Gordon aproveita a presença do juiz para consumar o casamento com Sarah Essen. Posto isto, graças à astúcia de Gordon, todos conseguem fugir daquele que seria o seu caixão subaquático. Flass, que não sabia nadar, acaba ironicamente por ser salvo pelo comissário Gordon que prefere entregá-lo à Justiça a deixá-lo afogar-se nas águas geladas.
       Uma história repleta de ação e suspense capaz de agarrar o leitor pelo pescoço da primeira à última vinheta.
         

      
   

3 comentários:

  1. Gostei muito do post e fiquei curiosa para ler o "Casamento do Comissário Gordon" :).

    ResponderEliminar
  2. Hehehe...
    Essa ai eu tenho.
    e o melhor: Comprei por R$2,00 num sebo

    ResponderEliminar