clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

HERÓIS EM AÇÃO: O FANTASMA



    Reza a lenda que o descendente de um navegante inglês aportou, há mais de 400 anos, na costa de Bengalla (África). Sobre o crânio do assassino do seu pai, jurou que devotaria a vida a combater a crueldade, a injustiça e a pirataria. Nascia assim o Fantasma, o Espírito-Que-Anda.    

Nome original: The Phantom
Criadores: Lee Falk  (texto) e Ray Moore (arte)
Primeira aparição: Edição de 17 de fevereiro de 1936 do New York American Journal
Licenciador: King Features Syndicate
Identidade civil: Christopher "Kit" Walker
Família conhecida: Diana Palmer (esposa) , Kit e Heloíse (filhos), Rex King (sobrinho)
Base de operações: Bengalla
Filiação: Patrulha da Selva e tribo Bandar
Poderes e armas: O grande poder do Fantasma reside na lenda que lhe está associada. Muitos julgam-no imortal e por isso temem-no. Na verdade, não passa de um atleta altamente treinado, perito em várias artes marciais e com uma astúcia acima da média. Como companheiras inseparáveis, tem duas pistolas que evita usar de forma letal. Conta ainda com a prestimosa ajuda do cavalo Herói e de um lobo chamado Diabo. Na versão moderna, usa um uniforme de kevlar.

     Na esteira do sucesso alcançado dois anos antes por Mandrake, Lee Falk apresentou ao mundo em 1936 a sua segunda criação. Considerado o primeiro super-herói mascarado da história dos comics, o Fantasma é ainda hoje uma das personagens mais populares da nona arte e as suas aventuras encantaram sucessivas gerações.
    Influenciado pelo seu antigo fascínio por mitos e lendas como a do Rei Artur ou a de El Cid, assim como pelas aventuras de Tarzan, Zorro e Mowgli (personagem de "O Livro da Selva"), Lee Falk imaginou inicialmente um playboy milionário que à noite combateria o crime como o misterioso Fantasma (seria esta, curiosamente, a premissa para a criação do Batman por Bob Kane em 1939). Sem nunca revelar a verdadeira identidade do herói na sua primeira história - "The Singh Brotherhood" - Falk logo transportou o Fantasma para as profundezas da selva, dando-lhe uma aura de imortalidade. Dada a existência na literatura de várias personagens com o nome fantasma associado, Falk desisitiu de batizar o herói de "Gray Ghost".
     Numa entrevista concedida muitos anos depois, Lee Falk revelaria que se inspirou no visual clássico de Robin Hood para conceber o uniforme colante do Fantasma. Já a ausência de pupilas (que ditaria uma tendência na indústria dos super-heróis) decorreu dos bustos esculpidos na Grécia antiga que também não tinham pupilas. Falk achou que esse pormenor daria um aspeto inumano e enigmático à sua nova personagem.
      A sua história começou 400 anos atrás quando, após um ataque pirata, um naúfrago alcançou a costa de Bengalla, um país africano fictício. Filho de um marinheiro inglês que na sua juventude navegara com Cristóvão Colombo, Cristopher Standish jurou, sobre a caveira do assassino do seu pai, lutar pela justiça e combater a pirataria. O apelido Standish seria posteriormente alterado para Walker por Lee Falk, decorrendo do epíteto "The Ghost Who Walks" (Espírito-Que-Anda) numa alusão à sua suposta imortalidade. A verdade, porém, é que o atual Fantasma é o 21º de uma linhagem de justiceiros cuja missão foi sendo transmitida de pais para filhos ao longo de várias gerações.
      O Fantasma usa dois anéis: um com a forma de caveira e outro com a imagem de duas espadas cruzadas. O primeiro deixa uma marca indelével em quem é esmurrado pelo herói; o segundo assinala que determinada pessoa ou local estão sob sua proteção. Segundo a lenda, o primeiro usuário do anel da caveira foi o imperador romano Nero, sendo a joia feita a partir dos pregos que prenderam Jesus Cristo à cruz. A Marca da Caveira é um estigma para os que enfrentam a ira do Fantasma.
      Como base de operações, o Espírito-Que-Anda tem a selva de Bengalla (país entretanto rebatizado de Bengali) que Lee originalmente localizou na Ásia mas que na década de 1960 transferiu para o continente africano.
      O Fantasma tem dois ajudantes: um lobo da montanha chamado Diabo e Herói, um magnífico corcel branco. Em 1978, casou com a sua eterna namorada Diana Palmer (numa história que contou com a participação especial de Mandrake), daí resultando o nascimento dos gémeos Kit e Heloíse (cabendo ao primeiro dar continuidade ao legado do Espírito-Que-Anda).
     Em todos os países onde foi publicado, o uniforme do Fantasma sempre foi roxo, exceto no Brasil. Para conseguir obter essa cor, as gráficas brasileiras teriam de sobrepor várias vezes as cores o que acarrateria um aumento do custo de produção. Optaram assim pelo vermelho. Já equipadas com impressoras modernas, as gráficas tentaram, após muitos anos de publicação, obter o padrão da cor original do uniforme mas os leitores estranharam a mudança. O Fantasma continuou assim a ter uma versão exclusiva para o Brasil (e também para Portugal onde foi publicado por editoras como a RGE).

A exclusiva versão brasileira do Fantasma.

     Antes de saltar para as páginas dos comics, o Fantasma foi lido diariamente por milhares de pessoas sob a forma de tiras publicadas em vários jornais norte-americanos. A partir de meados da década de 1940, a série passou a ser publicada por várias editoras como a Harvey Comics, a King Comics, entre outras. Em 1987, foi a vez da Marvel Comics lançar uma minissérie escrita por Stan Lee e baseada na série de animação Defenders of the Earth.
     O Fantasma protagonizou ainda várias novelas escritas por diferentes autores,entre os quais o próprio Lee Falk. Logo em 1943 teve direito a uma série televisiva de 15 episódios com Tom Tyler no papel principal. A série fez furor e em 1955 tentou lançar-se uma segunda temporada com um novo ator (John Hart) a dar vida ao Fantasma. Devido a problemas relacionados com direitos autorais, a série seria apressadamente reescrita e rebatizada de "As aventuras do Capitão África"(!).
     Seria preciso esperar mais de 40 anos para voltar a ver o Fantasma no grande ecrã. Em 1996, com Billy Zane vestindo o lendário uniforme roxo, estreou a primeira longa-metragem do herói, a qual esteve longe de ser um sucesso de bilheteira, apesar de contar no elenco com nomes sonantes como Catherine Zeta-Jones e Timothy Dalton.
     Em março de 2009, o canal SyFy anunciou que encomendara uma minissérie em dois episódios baseada na história do 22º Fantasma (ainda inédita em Portugal).
Billy Zane em The Phantom (1996).
    
     

6 comentários:

  1. Já li e adorei. Não conhecia o Fantasma.

    ResponderEliminar
  2. O prometido é devido.;) Em breve escreverei também sobre o Mandrake e outros heróis clássicos.

    ResponderEliminar
  3. Conhecia vagamente! O melhor, melhor, é que é o herói que veste a minha cor favorita. :)

    ResponderEliminar
  4. As luсk ωould havе it, it registeгs thе lightsome tickle, or tinglе bеlief fгom the galvanіc pulseѕ that the aurawave monetary value iѕ еxclusivеly approximately
    $150 in amount.

    Hеre iѕ my website: Daniel
    my site: Danny

    ResponderEliminar
  5. Eѕsentially, alternatіvely of гegisteгing the
    nuisance in that fiеlԁ, it registerѕ thе weak titillation, or tingling оpinion from the otherѕ was thаt it provides, and sіnce and then,
    the food maгκet for іt has contіnued to mаturate.
    Aurawave is one οf the nervus endingѕ in the
    specific conѕіstencе piece that is experiencing painful sensation is one of the near lоw-ρriced products of іt's genial.

    Feel free to surf to my website; my.houselectrozik.com

    ResponderEliminar