clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

quinta-feira, 22 de março de 2012

DO FUNDO DO BAÚ

   

      Um confronto épico entre os principais heróis e vilões do universo Marvel é o sonho de qualquer fã que se preze. E ele tornou-se realidade sob a forma de uma eletrizante minissérie em doze edições chamada Secret Wars. Depois dela, nada seria como dantes.

Título: Secret Wars/ Guerras Secretas (minissérie quinzenal em 12 edições)
Data: agosto de 1986 a janeiro de 1987
Licenciadora: Marvel Comics
Editora: Abril Jovem
Argumento: Jim Shooter
Arte: Mike Zeck, Bob Layton e Marcelo Campos (a fim de encaixar os eventos narrados na série na sua cronologia, a Abril procedeu a diversas alterações no enredo e na arte, cabendo estas últimas ao ilustrador brasileiro)
Número de páginas: 36 por edição
Formato: 13,5 x 19cm, colorido com lombada agrafada
Publicada originalmente em:  Marvel Super-Heroes Secret Wars nº1 a 12 (1984/85)
Sinopse:  Uma poderosa entidade cósmica chamada Beyonder observa o nosso planeta. Fascinada com a presença de superseres e determinada a testar o seu potencial, a criatura teletransporta um lote de super-heróis e outro de supervilões para um mundo, por si criado, numa galáxia longínqua. O objetivo é promover um confronto até à morte entre ambas as fações, a troco da promessa de realização de todos os seus sonhos e desejos.
                Do lado dos heróis, contavam-se os Vingadores (Capitão América, Gavião Arqueiro, Vespa, Thor, Homem de Ferro e Mulher-Hulk), o Quarteto Fantástico (exceto a Mulher Invisível), os X-Men (Ciclope, Colossus, Noturno, Wolverine, Professor X e Tempestade), Homem-Aranha, Hulk e a nova Mulher-Aranha. Também o vilão Magneto é colocado por Beyonder junto dos heróis mas logo se distancia por ser olhado com desconfiança por eles. Os X-Men, por seu turno, optam por agir como uma terceira via, de acordo com a sua própria agenda, provocando alguns equívocos e fricções.
Secret Wars nº2: onde param o Tocha Humana, Capitã Marvel e Vespa?


          De referir que a Abril omitiu as personagens Vampira e Capitã Marvel (até então desconhecidas dos leitores brasileiros) e alterou os uniformes dos X-Men Tempestade e Wolverine que, na cronologia da editora. não haviam ainda adotado esses novos visuais.
         O motivo da pressa? A fabricante brasileira de brinquedos Gulliver queria lançar uma linha de bonecos baseada na saga (também foram comercializados em Portugal) e pressionou a Abril a lançar o material sem dar tempo de a cronologia regular chegar aos eventos narrados em Secret Wars.  Foi também por esse motivo que a editora manteve o título original da série e mutilou algumas das capas originais (ver imagens). Isto deu azo a erros grosseiros: Wolverine ora aparece com o uniforme antigo ora aparece com o novo; e Tempestade figura em algumas capas enquanto noutras é suprimida. Uma verdadeira confusão, portanto. Nada, no entanto, que na altura incomodasse os leitores ávidos de ação e aventura como eu. Até porque, como bónus, foi lançado com a minissérie um álbum de figurinhas grátis.
                O lote de vilões reunia pesos-pesados como o Doutor Destino, Galactus, Kang, o Conquistador, Encantor, Ultron e Homem-Molecular, devidamente secundados pelo Gangue da Demolição, Garra Sónica,  Homem Absorvente, Lagarto e as debutantes Titânia e Vulcana.

Secret Wars nº1: descubram as diferenças.

                A par das várias contendas entre as duas fações, ocorrem diversos episódios com repercussões futuras: desde logo, o surgimento do uniforme negro do Homem-Aranha (ignorando, à data, que se tratava de um simbionte alienígena); a aparição da nova Mulher-Aranha (Julia Carpenter); o abandono temporário do Quarteto Fantástico por parte do Coisa e a sua substituição pela Mulher-Hulk na equipa; o fim do namoro de Colossus e da sua colega Kitty Pride depois de ele se ter apaixonado por uma curandeira alienígena que sacrifica a própria vida para salvar os heróis; seria ainda revelado, anos mais tarde, que Alicia Masters, a namorada do Coisa, fora substituída por uma espia Skrull durante a ausência do herói.
              Por todos esses motivos, Secret Wars (a despeito das lacunas e incongruências da sua versão brasileira) foi um marco na história dos quadradinhos e é hoje uma das joias da minha coleção.

Os bonecos Secret Wars lançados pela Gulliver.

4 comentários:

  1. Quero ler esta minissérie de Secret Wars :).

    ResponderEliminar
  2. Como sempre, os teus desejos são ordens para mim ,amorzinho.:)

    ResponderEliminar
  3. Uma história que marcou sem duvidas tanto que anos depois seria resumida em Capitão América devido a estar no momento cronológico correcto e reeditada em Teia do Aranha na integra e sem cortes.
    Eu também tive alguns desses bonecos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Secret Wars foi um marco na história do universo Marvel e dos comics em geral.
      Para grande pena minha, nunca tive nenhum dos bonecos lançados em simultâneo com a minissérie. :(

      Eliminar