clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

segunda-feira, 7 de maio de 2012

NÉMESIS: GALACTUS



      Imaginem um ser mais antigo do que a própria Criação, que testemunhou o Big Bang,  senhor de um poder inimaginável e que trilha o Cosmos numa busca eterna por mundos que possam saciar a sua fome infinita. Assim é Galactus...

Nome original: Galactus
Primeira aparição: Fantastic Four nº48 ( abril de 1966)
Criadores: Stan Lee (texto) e Jack Kirby (arte)
Licencidadora: Marvel Comics
Identidade civil: Galan
Origem: Planeta Taa (Galan) e Ovo Cósmico (Galactus)
Parentes conhecidos: Morte e Eternidade (irmão e pai, respetivamente)
Base de operações: Todo o Universo
Poderes e habilidades: O poder cósmico de Galactus é imensurável. As suas capacidades são virtualmente infinitas: levitação; projeção de rajadas energéticas com elevado potencial destrutivo; transmutação de matéria em energia e vice-versa; reestruturação molecular; teletransporte espacial, temporal e dimensional; construção de campos de força inexpugnáveis; telepatia; etc. Embora a criatura geralmente evite o confronto físico, possui  força muito para lá da compreensão humana e pode ampliar o seu tamanho (que normalmente ronda os oito metros). Mesmo apenas imbuídos com uma insignificante fração do poder de Galactus, os seus arautos conseguem manipular matéria e energia a seu bel-prazer, o que os torna oponentes formidáveis.
                                 Para sustentar o seu imenso poder, Galactus necessita alimentar-se da energia vital dos planetas. Daí derivando o seu cognome "O Devorador de Mundos". Muitas vezes usa o seu Conversor Elemental no processo, não obstante poder extrair e absorver ele próprio a energia necessária. Inicialmente, um planeta com dimensões equivalentes às da Terra providenciar-lhe-ia energia suficiente para mais de um século. Agora ele necessita alimentar-se pelo menos uma vez por mês. E essa periodicidade pode reduzir-se consideravelmente caso necessite de armazenar energia para um grande dispêndio de poder cósmico.
                               Tratando-se de uma criatura física, Galactus pode, ainda assim, adotar uma forma abstrata na Dimensão das Manifestações para assim confraternizar com as entidades Morte e Eternidade.
Galactus estreou-se em Fantastic Four nº48 (1966).

Biografia: Único sobrevivente do universo que existia antes do Big Bang, Galactus é talvez o ser mais temido do Cosmos. Incontáveis biliões de anos atrás, ele nasceu como Galan no planeta Taa, um paraíso científico e de harmonia social. Estava, todavia, iminente o ocaso do velho universo. Toda a matéria convergia para um ponto central por via do processo cósmico que originou o Big Bang. Daí resultou a criação do Ovo Cósmico, uma esfera composta por matéria primordial compacta e desorganizada. Galan, um explorador espacial, descobriu uma praga radioativa que ameaçava toda a vida no seu mundo natal. Embora de início tenha sido alvo de chacota por parte dos seus patrícios, logo a verdade se tornou evidente à medida que pereciam as populações dos planetas vizinhos de Taa. A despeito de todos os esforços por parte dos mais brilhantes cientistas de Taa, nenhuma cura foi encontrada e os habitantes do planeta foram dizimados. Galan convenceu os poucos sobreviventes a acompanharem-no numa derradeira viagem espacial rumo ao caldeirão cósmico que se fervilhava no centro do universo. Os restantes acabariam por sucumbir à radiação mas Galan foi salvo pela Força Fénix do universo moribundo que o depositou no interior do Ovo Cósmico.
                  Com o Big Bang, a matéria contida no Ovo Cósmico explodiu, transformando-se em estrelas e planetas. Galactus e a sua gigantesca nave foram recriados, em simultâneo com as entidades Morte e Eternidade. Pese embora estas hajam permanecido adormecidas durante eras enquanto a vida se espalhava pelo universo recém-nascido.
                 A nave de Galactus despenhou-se num planeta desconhecido, onde um Vigia observou o seu ocupante emergir sob a forma de energia em bruto. Reconhecendo o perigo que a criatura representava para o Cosmos, o Vigia poderia tê-la matado. Mas não o fez em obediência ao seu voto de não-interferência.
                Galactus conseguiu reparar a sua nave e lançá-la novamente no espaço, ao mesmo tempo que a transformava numa gigantesca incubadora. Foi nela que passou incontáveis séculos, evoluindo até à sua forma atual. Anos mais tarde, porém, a sua hibernação seria subitamente interrompida quando a sua nave foi atingida por engano por uma raça alienígena que travava uma violenta guerra naquele setor espacial. Emergindo incólume do ataque, Galactus obliterou as armadas alienígenas que se digladiavam para, de seguida, devorar o primeiro de  muitos mundos: Archeopia.  Em redor do planeta devastado, construiu uma imensa nave que batizou de Taa II e que se tornou o novo lar do gigante. Uma tarefa que se prolongou por milénios.
                Inicialmente, transcorriam séculos entre os repastos cósmicos de Galactus, que procurava sempre mundos desabitados para satisfazer a sua fome. Porém, à medida que a sua fome aumentava, planetas dotados de vida deixaram de ser poupados. Entre eles esteve Zenn-La, mas foi persuadido por um nativo chamado Norrin Radd a poupá-lo em troca dos seus serviços como arauto encarregado de buscar planetas desprovidos de vida para servirem  de alimento a Galactus. A criatura aquiesceu e concedeu-lhe uma ínfima parcela do seu poder cósmico, transformando Norrin Radd no Surfista Prateado. Também lhe suprimiu a consciência moral para que o seu novo arauto, se necessário, lhe encontrasse planetas habitados. Isso levou a que, anos volvidos, o Surfista Prateado conduzisse o seu mestre à Terra, debalde os esforços do Vigia para ocultar o nosso planeta.
Criador e criatura: Galactus e o seu arauto, Surfista Prateado.

                  Após um breve recontro com o Quarteto Fantástico, e enquanto Galactus procedia aos preparativos para devorar a Terra, o Surfista foi convencido por Alicia Masters, a escultora cega namorada do Coisa, a voltar-se contra o seu mestre.  Embora incapaz de derrotar o gigante, o Surfista conseguiu retardá-lo enquanto o Vigia enviava o Tocha Humana a bordo da nave de Galactus a fim de surripiar o Nulificador Definitivo, uma das poucas armas capazes de matar a criatura. O Senhor Fantástico usou o Nulificador para forçar Galactus a poupar a Terra. Pela sua traição, o Surfista foi aprisionado na Terra devido a uma barreira invisível gerada pelo seu antigo mestre.
                 Ao Surfista Prateado seguiram-se vários novos arautos de diversas origens, sendo porventura o mais temível Terrax, o Destruidor que enfrentou o Quarteto Fantástico em diferentes ocasiões.
                Tendo em 2009 conquistado um honroso quinto lugar no Top 100 de Supervilões Dos Quadradinhos elaborado pelo site IGN, Galactus tem marcado presença em diversas séries animadas, videojogos e linhas de brinquedos produzidos pela Marvel. Também figurou (embora numa forma diferente da tradicional) no filme Fantastic Four: Rise of the Silver Surfer (2007).
Galactus ameaça a Terra no 2º filme do Quarteto Fantástico.

2 comentários:

  1. Mais um excelente post. O Galactus já conhecia mas não conhecia a sua origem. Não fazia ideia que era tão velhote :).

    ResponderEliminar
  2. Its such as you learn my thoughts! You seem to know a lot approximately this, like you
    wrote the ebook in it or something. I believe that you just
    could do with some percent to pressure the message home a little bit, but other than that, this
    is wonderful blog. A great read. I'll definitely be back.

    Also visit my web-site :: girls barcelona

    ResponderEliminar