clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

segunda-feira, 16 de julho de 2012

NÉMESIS: APOCALYPSE


     Imortalizado na História dos quadradinhos como tendo sido o carrasco do Super-homem, Apocalypse é uma formidável máquina assassina cuja origem remonta aos primórdios do planeta natal do Homem de Aço.

Nome original: Doomsday
Primeira aparição: Superman: The Man of Steel nº18 (dezembro de 1992)
Criador: Dan Jurgens
Licenciadora: DC
Origem: Krypton
Parentes conhecidos: Bertron (criador/"pai" falecido)
Filiação: Sociedade Secreta de Supervilões III, Esquadrão Suicida, Apokolips
Poderes e habilidades: Criado para ser a suprema arma de destruição maciça, Apocalypse é o resultado da perversa engenharia genética levada a cabo pelo misterioso Bertron. Repetidamente morto pelas espécies mais letais do universo na inóspita superfície pré-histórica de Krypton, um bebé foi sucessivamente  clonado. De cada vez que isso acontecia, a criatura evoluía, tornando-se resistente ou imune ao que a tinha matado antes. Daí resultando a impossibilidade de Apocalypse ser derrotado duas vezes da mesma maneira. O monstro é, com efeito,  virtualmente indestrutível pois é invulnerável a quase tudo, dispõe de uma capacidade regenerativa quase instantânea, não precisa de se alimentar ou de respirar e consegue sobreviver no vácuo espacial. Todas estas características - a que se somam as protusões ósseas que lhe protegem os poucos órgãos vitais e a capacidade de gerar contramedidas adaptativas - são o corolário de sucessivas evoluções.  Por outro lado, Apocalypse possui uma força descomunal (superior a cem toneladas), supervelocidade e células absorventes que lhe permitem assimilar as capacidades meta-humanas de qualquer oponente seu (foi assim que adquiriu o poder de voo de que não dispunha anteriormente). Entre a sua vastíssima parafernália conta ainda com o Sentido Kryptoniano. Trata-se de uma habilidade genética que lhe permite pressentir a presença de qualquer outro ser com ADN kryptoniano. O que, por sua vez, leva imediatamente Apocalypse a considerá-lo como uma ameaça (o que explica a sua obstinação em matar o Super-homem aquando do primeiro encontro entre ambos).

A primeira aparição de Apocalypse em Superman: The Man of Steel nº18 (1992).

Biografia: No passado remoto de Krypton, muito antes da raça humanoide nativa dominar o planeta, uma abominação sem nome foi artificialmente criada com o propósito de se tornar a suprema arma de destruição em massa. Krypton era então um local inóspito onde apenas os predadores mais fortes e impiedosos tinham alguma hipótese de sobrevivência. Desejando criar uma forma de vida superior, um misterioso alienígena chamado Bertron enviou um bebé para a superfície desolada do planeta para que fosse quase imediatamente morto pelo ambiente hostil ou pelas criaturas ferozes que nele habitavam. Vezes sem conta os despojos mortais do bebé assassinado foram clonados a fim de criar um ser mais forte, mais rápido e mais resistente do que a sua versão anterior. Não tardou, porém, a que o insano cientista usasse a clonagem para acelerar a evolução da sua criatura. Ao longo das décadas que durou este processo, o ser que mais tarde se tornaria o carrasco do Homem de Aço, foi obrigado a sentir a agonia da tortura e da morte milhares de vezes. As recordações das suas incontáveis mortes ficaram gravadas nos seus genes, levando-o a odiar toda e qualquer forma de vida. Por fim, o monstro desenvolveu a capacidade de evoluir sem a tecnologia de Bertron. Tornou-se assim no mais poderoso predador do universo, caçando as feras que antes o tinham tentado matar.
Uma máquina assassina kryptoniana.
                  Depois de dizimar todas as formas de vida existentes em Krypton, Apocalypse partiu no encalço dos seus algozes: Bertron e a sua equipa de cientistas. Em resultado do sofrimento que lhe haviam infligido, todos foram chacinados às mãos da criatura.
                 Apocalypse escapou de Krypton a bordo de uma nave que Bertron construíra e espalhou um enorme rasto de sangue e destruição em vários mundos. Bylan 5 foi a primeira vítima da indómita fúria da criatura. Sucede que Darkseid se encontrava no planeta a fim de desposar um princesa nativa. Movido por interesses obscuros (Darkseid planeava apoderar-se dos depósitos químicos de Bylon 5 para produzir armamento para Apokolips), o vilão tentou impedir que Apocalypse aniquilasse aquele mundo. O confronto entre ambos, porém, foi breve pois, em resultado dele, a atmosfera de Bylan 5 tornou-se tóxica e o planeta deixou de ter qualquer utilidade para o soberano de Apokolips.
                 Apanhando boleia de uma nave salva-vidas, Apocalypse logrou escapar de Bylan 5. A próxima paragem na sua jornada de destruição foi Khundia, planeta onde a nave  salva-vidas se despenhou. Face à ameaça que o monstro representava, os vários clãs khundios juntaram esforços para conceber uma armadura para um bravo guerreiro chamado Kobald. A sua missão era forçar Apocalypse a entrar num foguetão que o levaria para longe de Khundia. Uma vez no espaço, Apocalypse matou Kobald e a explosão que se seguiu deixou-o à deriva no espaço sideral.

Apocalypse ficará na História como o carrasco do Homem de Aço.
                   O próximo a cruzar o caminho de Apocalypse foi um Lanterna Verde chamado Zharan Pel. Não só o monstro assassinou Zharan Pel como se apoderou do seu anel energético e, pressentindo o imenso poder dos Guardiões do Universo, partiu no encalço deles. Milhares de Lanternas Verdes foram enviados para detê-lo.  Todos, no entanto, sucumbiram às mãos de Apocalypse. A criatura prosseguiu a sua viagem até Oa (lar dos Guardiões do Universo) onde um dos Guardiões sacrificou a própria vida para travar a monstruosidade. Com Apocalypse morto, os Guardiões voltaram a sua atenção para a reorganização da Tropa dos Lanternas Verdes. Na verdade, em resultado das energias massivas usadas pelos Guardiões para derrotar o monstro, foi aberta uma brecha no espaço pela qual um Apocalypse ferido e inconsciente caiu.
                  Próxima paragem: Catalon. Após três anos de destruição genocida, e quando já só a capital restava de pé, todos os membros da família real cataloniana combinaram as suas forças vitais num ser composto de pura energia. Assim nasceu o Radiante, que matou Apocalypse com uma potente rajada energética (e destruindo um quinto do seu planeta no processo). Seguindo a tradição fúnebre cataloniana, Apocalypse foi amarrado, envolvido numa mortalha e, por se tratar de um assassino, foi lançado no espaço. Essa viagem acabaria por ter como destino final a Terra.
                 Devido ao impacto da aterragem, o que restava do casco da nave ficou enterrado nas entranhas do nosso planeta. Desconhece-se durante quanto tempo permaneceu no subsolo terrestre. Todavia, Apocalypse não estava morto. À semelhança do que sucedera incontáveis vezes no passado, ele evoluiu em resultado da sua morte. E ali permaneceu aprisionado até ao fatídico dia em que semearia o caos e a morte no nosso mundo, sendo apenas travado devido ao supremo sacrifício do Homem de Aço.
Super-homem versus Apocalyse: um choque de titãs.

Noutros media: Graças ao seu estatuto de assassino do Super-homem, Apocalypse tornou-se um fenómeno de popularidade dentro e fora dos comics. Em 2011, ficou em 46º lugar no Top 100 dos Melhores Vilões de Todos os Tempos, promovido pelo site britânico IGN. Na TV, marcou já presença em várias séries de animação produzidas pela DC: Justice League (com a particularidade de ter sido Michael Jai White - o ator que interpretou Spawn no cinema - a emprestar-lhe a voz); Justice League Unlimited (num episódio em que surge como um clone do próprio Homem de Aço, gerado pelo Projeto Cadmus); em Legion of  Super Heroes surge como um prisioneiro na Zona Fantasma (prisão extradimensional para criminosos kryptonianos); finalmente, na oitava temporada de Smallville surge como o principal antagonista do jovem Super-homem, sendo interpretado na forma humana por  Sam Witwer e por Dario Delacio na forma monstruosa. Nesta versão, Apocalypse foi criado pelo General Zod a partir do ADN das criaturas mais poderosas de Krypton.
                           No filme de animação Superman: Doomsday (2007), a sua origem é simplificada, passando a ser descrito como um supersoldado biomecânico. Já em Superman/Batman: Apocalypse (2010), um exército de clones de Apocalypse, criados por Darkseid, é enviado para atacar Themyscira, lar das Amazonas e da Mulher-Maravilha.
Apocalypse também marcou presença em Smallville.

2 comentários:

  1. Mais um supervilão e que supervilão, afinal matou o Super-homem. Apenas conhecia alguns pormenores.
    Excelente post.

    ResponderEliminar
  2. Ele realmente marcou uma época só que as clonagens e outras histórias posteriores banalizaram o personagem,que apenas se queria vingar do ultimo Kriptoniano e que tinha o poder da evolução.

    ResponderEliminar