clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

DO FUNDO DO BAÚ



       Conforme é mostrado na magnífica trilogia fílmica dirigida por Chris Nolan (e cujo derradeiro capítulo estreou nos cinemas no pretérito dia 2), desde muito cedo os caminhos de Batman e do clã Al Ghul se cruzaram. Daí resultando inúmeros conflitos e traições, mas também alianças de conveniência e um tórrido romance entre o herói e Talia, a sedutora filha do seu némesis Ra's Al Ghul. Damian Wayne, o atual Robin, é o fruto dessa paixão proibida. Uma história contada 25 anos atrás numa das mais aclamadas graphic novels de sempre: Batman, O Filho do Demónio. É pois com imenso prazer que hoje vos dou a conhecer essa pérola da 9ª arte que há décadas faz parte da minha coleção.

Título: Graphic Novel nº7: "Batman, O Filho do Demónio"
Data: Janeiro de 1989
Licenciadora: Detective Comics (DC)
Editora: Abril Jovem
Número de páginas: 84
Formato: 21 cm x 27,5 cm, colorido, lombada agrafada
Argumento: Mike W. Barr
Arte: Jerry Bingham
Publicado originalmente em: Batman: Son of The Demon (setembro de 1987)



Sinopse:  Na sequência do misterioso assassinato de um proeminente cientista de Gotham City, Batman, suspeitando da existência de uma trama intrincada, inicia uma investigação por conta própria. As pistas que encontra conduzem-no a um terrorista conhecido apenas como Qayin. Ra´s Al Ghul, líder da Liga de Assassinos e arqui-inimigo do Cavaleiro das Trevas, também anda na peugada de Qayin, responsável pela morte da sua esposa. Tendo como objetivo comum a captura do assassino, Batman e Ra´s unem esforços nesse sentido.
                Como parte do acordo, Batman aceita desposar, numa cerimónia de acordo com as tradições culturais do clã Al Ghul,  a deslumbrante filha do seu némesis. O Homem-Morcego e Talia Al Ghul já se tinham, de resto, envolvido no passado. Vivendo agora maritalmente, não tarda por isso que a jovem engravide, o que deixa Batman exultante. Chegando mesmo a presentar Talia com um precioso colar de pedras negras e a harmonizar-se com Ra's. A perspetiva de ser pai leva o Cavaleiro das Trevas a encarar a vida de uma forma completamente diferente. Apostado em não permitir que o seu filho cresça sem a sua presença, Batman pondera a hipótese de abandonar a sua carreira de justiceiro para se tornar um homem de família.


                 O seu comportamento, porém, modifica-se de uma forma perigosa. Batman torna-se mais cauteloso e contido. Facto que deixa Talia e o pai apreensivos. Com efeito, o Homem-Morcego quase morre ao tentar proteger Talia de um ataque perpetrado por agentes ao serviço de Qayin. Desagradada com a atitude superprotetora do marido em relação a si, Talia - temendo igualmente que a paternidade o amoleça - simula a perda do bebé, justificando-se com o stress causado pelo ataque de que foi alvo.
                 Transtornado com o que crê ser uma nova perda na sua vida marcada por um sucessão de tragédias, Batman direciona toda a sua frustração e raiva para um último ataque à base de Qayin. Chegando mesmo a entregar uma metralhadora a Ra´s para que este liquide os mercenários que protegem a fortaleza.
                Terminada a batalha, Batman regressa para junto de Talia. Destroçada, a jovem propõe, a bem de ambos, a dissolução do casamento e o consequente afastamento do casal.
                Batman retorna então a Gotham, ignorando que Talia continua a carregar no ventre um filho seu.
                Nove meses depois, um bebé é deixado num orfanato, acompanhado de um bonito colar de pedras negras. Logo o menino é adotado por um casal que o criarará como filho.

                 
                Uma das melhores histórias do Homem-Morcego alguma vez escritas, Batman, O Filho do Demónio figura na sétima posição do top 25 do IGN Comics. Percebe-se porquê: nela é apresentada um faceta desconhecida do herói. É posta em evidência a deficiente formação emocional de Bruce Wayne, decorrente dos anos dedicados a preparar-se para ser o Cavaleiro das Trevas. Trata-se, no fundo, de um homem que nunca aprendeu devidamente a lidar com as pessoas.
                 Bruce Wayne acredita que todo o seu sofrimento, toda a sua dedicação, tudo o que ele é, está relacionado com a morte dos seus pais. A importância de Alfred na formação do seu caráter é exposta de forma rápida, porém efetiva, em momentos distintos da narrativa. O fiel mordomo é, com efeito, o principal referencial emotivo de Bruce. Como reagiria à existência de uma família um indivíduo com este perfil psicológico?
                Apesar da superior qualidade do argumento e dos desenhos, esta história mereceu acerbas críticas por parte de muitos fãs do Homem-Morcego. Afinal, quem conhece a sua personalidade, dificilmente poderia acreditar que ele mudaria tanto em tão pouco tempo. Mais complicado ainda é aceitar que, traindo todos os seus princípios morais, Batman desse uma arma a Ra´s Al Ghul para que este matasse os seus oponentes.
                 Inicialmente prevista para ser lançada sob a forma de uma realidade alternativa na série Elseworlds (batizada no Brasil de Túnel do Tempo), Batman, O Filho do Demónio não foi incluída na cronologia oficial da DC. O que não impediu que o filho de Batman e Talia ressurgisse na minissérie O Reino do Amanhã (lançada pela Abril Jovem em 1997 e reeditada pela Panini Comics em 2004). E menos ainda que a história fosse repescada por Grant Morrison em 2006 para introduzir Damian Wayne como o novo Robin.
                Esta obra-prima dos quadradinhos forma, em conjunto com Batman: Bride Of The Demon e Batman: Birth Of The Demon (ambas inéditas em Portugal) uma magistral trilogia protagonizada pelo Homem-Morcego e o clã Al Ghul.
               De periodicidade variável, a série Graphic Novel teve 29 números publicados pela Abril Jovem entre 1988 e 1991. Além de Batman, O Filho do Demónio pelas suas páginas passaram obras-primas dos quadradinhos como X-Men - Conflito de uma raça e  Batman - A Piada Mortal entre muitas outras.
O atual Robin é o filho de Batman e de Talia Al Ghul.

2 comentários:

  1. Que a propria DC reeditou recentemente no formato Comic e que agora prepara um Tpb.Sem ela Morrison não usaria o Damien no seu Run.

    ResponderEliminar
  2. O Reino do Amanhã tambem foi editado aqui com o Nome Kingdom Come em formato Fb e Hc,como uma Mini de 4 numeros.

    ResponderEliminar