clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

NÉMESIS: LEX LUTHOR







      Uma das mentes mais brilhantes e maquiavélicas de todos os tempos pertence a Lex Luthor, o arqui-inimigo do Super-homem. O herói kryptoniano é, de resto, a sua maior obsessão e, por isso, o vilão nunca se poupou a esforços para o neutralizar.
 
Nome original: Lex Luthor
Primeira aparição: Action Comics nº23 (abril de 1940)
Criadores: Jerry Siegel (texto) e Joe Shuster (arte)
Licenciadora: Detective Comics (DC)
Identidade civil: Alexander Joseph Luthor
Local de nascimento: Beco do Suicídio, Metrópolis
Base de operações: Metrópolis
Parentes conhecidos: Lionel e Letitia Luthor (pais falecidos), Lena Luthor (irmã), Casey e Elaine Griggs (pais adotivos falecidos), Perry White Jr. (filho ilegítimo falecido), Lena Luthor (filha), Elisabeth Perske (ex-esposa), Superboy/Kon-El (clone parcial).
Filiação: Lexcorp, Liga da Injustiça, Sexteto Secreto e Tropa dos Lanternas Laranjas.
Poderes e habilidades: Mesmo desprovido de qualquer superpoder, o formidável intelecto de Luthor torna-o um oponente temível. Além de um cientista brilhante (em tempos proclamou ter descoberto as curas para o cancro e para a Sida, mas recusou-se a divulgá-las publicamente), Luthor é também um empresário astuto, que não olha a meios para atingir os seus fins, e cuja fortuna rivaliza com a do próprio Bruce Wayne (o alter ego multimilionário de Batman). Movido por uma ambição desmedida, aplicou os seus dotes intelectuais e os seus vastos recursos corporativos para se fazer eleger presidente dos EUA. Graças às suas instrutoras Amazonas, Luthor desenvolveu também as suas capacidades no combate mano a mano. Para colmatar a sua ausência de superpoderes, Luthor desenvolveu ao longo dos anos uma vasta parafernália de armas e dispositivos tecnológicos. Entre eles, destaca-se a sua sofisticada armadura de combate, que em várias ocasiões usou para defrontar o Homem de Aço. A arrogância, inveja e megalomania são as principais fraquezas do vilão.

Foi nesta edição de Action Comics que Luthor se estreou.
 
Biografia: São conhecidas, pelo menos, duas variantes da origem de Lex Luthor: a clássica e a pós-Crise Infinita (mais próxima da que é apresentada em Smallville). Em ambas existem, contudo, contornos difusos e mistérios por resolver.
                  Originalmente, Lex Luthor nasceu no seio de uma família humilde e disfuncional, numa das zonas menos recomendáveis de Metrópolis, sugestivamente batizada de Beco do Suicídio. Obcecado em melhorar a sua condição social, ainda adolescente, Lex orquestrou a morte dos seus progenitores, de modo a beneficiar do respetivo seguro de vida. Com essa maquia, fundou a sua própria empresa e lançou-se no mundo dos negócios. Não tardaria a que a LexCorp se tornasse praticamente dona de Metrópolis para, de seguida, se tornar numa lucrativa multinacional. Empenhado em projetar uma imagem de filantropo, Luthor usou sistematicamente  o seu império mediático para se autopromover. Apenas o Planeta Diário escapava ao seu monopólio, assumindo uma posição crítica relativamente às atividades da LexCorp. Como represália, Luthor promoveu a asfixia financeira do jornal, conduzindo-o a uma situação de pré-bancarrota.
                  Ao longo do seu percurso até atingir o topo da pirâmide social de Metrópolis, Luthor não hesitou em forjar alianças com o submundo do crime e com outros empresários pouco escrupulosos. Qualquer um que ousasse atravessar-se no seu caminho seria impiedosamente liquidado. E assim Luthor se tornou o homem mais poderoso de Metrópolis, controlando simultaneamente um empório empresarial e o crime organizado da cidade.
                  Luthor seria, no entanto, destronado com a chegada do Super-homem a Metrópolis. Fascinado pelos poderes semidivinos do Homem de Aço, Luthor tentou contratá-lo como seu guarda-costas. Perante a recusa do herói em integrar a sua folha de pagamentos, o vilão tentou criar o seu próprio Super-homem. Usando ADN do herói kryptoniano, produziu um clone deste, o qual degeneraria numa réplica imperfeita e instável, crismada de Bizarro. Após um feroz combate com o Homem de Aço, a criatura seria destruída, sem que, todavia, ficasse provado o envolvimento de Luthor na sua criação.

O visual de Luthor na Era de Prata.
 
                 Aos olhos de Luthor, o Super-homem não merecia os dons que possuía. Sentia-se ressentido por, ao contrário dele próprio, que teve de percorrer um longo e árduo caminho até ao topo, o novo ídolo de Metrópolis ter sido agraciado com os poderes de um deus.
                  Para saciar a sua enorme sede de poder, anos mais tarde, Luthor candidatou-se à Presidência dos EUA. Aproveitando a extrema impopularidade da administração anterior, aventou várias promessas eleitorais demagógicas que lhe valeram a eleição.
                  Foi durante a sua breve estadia na Casa Branca que Luthor teve acesso a informação confidencial sobre a nave que trouxera o Homem de Aço à Terra, a qual se despenhara nas imediações da quinta do casal Kent. Descobria assim que o seu némesis usava uma identidade secreta, a do pacato repórter Clark Kent. Estupefacto por alguém portador de semelhante poder se disfarçar como um reles humano, Luthor, inopinadamente, resolveu guardar segredo em relação à sua bombástica descoberta. Revelaria, porém, mais tarde que, na origem desta sua decisão esteve o receio de que, uma vez exposta a identidade secreta do Super-homem, isso fizesse perigar a vida de Lois Lane, por quem nutria uma paixão secreta.
                  Em resultado de diversas maquinações para desacreditar o Homem de Aço, o presidente Luthor acabaria por ser alvo de uma impugnação, ao mesmo tempo que se tornava público que a CEO da LexCorp, Talia Head, vendera as ações da empresa à Fundação Wayne. Arruinado, Luthor desapareceu na obscuridade.

Luthor chegou a Presidente dos EUA.
 
                   Na nova versão da sua biografia, surgida na sequência dos eventos da saga Crise Infinita, o clã Luthor fazia parte dos pioneiros que fundaram Metrópolis. Ao longo dos séculos, os Luthor foram acumulando riqueza e influência. O bisavô de Lex foi um abastado empresário no início do século XX que, no entanto, perdeu toda a sua fortuna em resultado do crash bolsista de 1929. A fortuna familiar só seria restaurada com Lex Luthor, um jovem com tanto de inteligente como de ganancioso. Farto dos abusos que lhe eram impostos pelo seu pai alcoólico, Luthor viveu parte da sua adolescência em casa de uma tia, em Smallville, onde se cruzou com o jovem Clark Kent e os seus amigos Lana Lang e Pete Ross. Apesar das suas diferenças de temperamento, Lex e Clark travaram uma incipiente amizade, que logo seria interrompida após Lex ter de deixar Smallville sob uma nuvem de suspeitas, quando o seu pai morreu em circunstâncias misteriosas.
                  Regressado a Metrópolis, Luthor fundou a LexCorp. A exemplo do passado, o poder e influência que exercia sobre os habitantes da cidade seriam postos em xeque com o advento do Homem de Aço. O primeiro encontro de ambos, no entanto, seria diferente do da linha temporal original: como parte da sua fachada filantrópica, todos os dias Luthor escolhia aleatoriamente um dos desvalidos que se amontoavam diante dos portões da  LexCorp, oferecendo-lhe emprego e a oportunidade de começar uma vida nova. Numa dessas ocasiões, o feliz contemplado foi Rudy Jones que, depois de comer um donut contaminado com um composto químico radioativo desconhecido, se transformou no Parasita. O Super-homem deteve a criatura, ofuscando Luthor e deixando-o furibundo.
              Apostado em vingar-se, Luthor contactou o general Sam Lane (pai de Lois Lane), informando-o que o novo herói de Metrópolis era, afinal, um extraterrestre. Convencido que o Homem de Aço era o arauto de uma força invasora alienígena, Lane contratou Luthor para que este encontrasse uma forma de neutralizar o kryptoniano. Uma vez mais, porém, os planos de ambos foram gorados e o Super-homem passou a ser venerado pela população de Metrópolis que, inicialmente, o olhava com suspeição. Luthor, pelo contrário, deixou de ser o homem mais poderoso da cidade, acabando por se tornar no seu inimigo público número um. Tudo isto sedimentou o seu ódio e rancor em relação ao Último Filho de Krypton. O qual será sempre um estorvo aos delírios megalómanos do vilão.

Para compensar a falta de superpoderes, Luthor desenvolveu uma armadura de combate.
 
Curiosidades: 

* Na sua primeira aparição em 1940, nas páginas de Action Comics nº 23, Luthor foi desenhado com cabelo ruivo.  Quando, no ano seguinte, um desenhador, por lapso, o retratou completamente careca, Joe Shuster gostou da nova aparência e adotou-a como padrão;
* Há duas explicações para a característica calvíce de Luthor: na primeira, ela resulta da radiação do anel de kryptonita que usou em tempos para se proteger do Super-homem (e que também lhe custou a amputação de uma mão); na segunda, a calvíce é uma tendência natural;
* Durante a Idade do Ouro, Luthor não era representado como um empresário, mas sim como um cientista louco que logo se tornou a contraparte do Super-homem;
* O Q.I. de Luthor ultrapassa o nível 12, chegando a rivalizar com o de Brainiac (ver Némesis: Brainiac).
* Num universo compacto alternativo (onde apenas existiam Krypton e a Terra), Luthor era um nobre cientista, responsável pela criação de Matriz, combinando o ADN da Lana Lang desse mundo com uma substância conhecida como protomatéria. Matriz tornar-se-ia numa versão adulterada da Supergirl.
             
Gene Hackman foi Luthor em três filmes do Super-Homem.
 
Noutros media:  Decorrente da sua extrema popularidade, Luthor teve papéis de destaque em várias séries animadas da DC, tendo-se estreado em Superfriends (1973-75). À época, comandava a Legião do Mal e usava ainda o seu clássico traje roxo, que remontava à Era da Prata.
                            Em Lois & Clark: The New Adventures of Superman (1993-97) é retratado como um vilão charmoso, inteligente e manipulador, muito próximo da versão moderna. Coube a John Shea vestir a pele de Luthor na popular série televisiva.
                          Em Smallville, a sua origem é bastante distinta de ambas as versões mencionadas acima, sendo interpretado por Michael Rosenbaum.
                          No cinema, exceção feita a Superman III, Luthor marcou presença em todos os filmes do Homem de Aço produzidos até ao momento. Na primeira quadrilogia (1978-87), foi interpretado por Gene Hackman, que imprimiu um toque mais burlesco do que maquiavélico à personagem. Já em Superman Returns (2006), o oscarizado Kevin Spacey foi o escolhido para voltar a dar vida ao arqui-inimigo do Super-homem no grande ecrã. Nesta nova abordagem, o vilão surge como uma mescla do Luthor pré-Crise com o atual.
                           Desconhece-se, até ao momento, se Luthor irá ou não figurar no próximo filme do Super-homem (Man of Steel), com estreia prevista para o verão de 2013.


Em Superman Returns,  Kevin Spacey encarnou o arquirrival do Homem de Aço.

   

1 comentário:

  1. Este eu conheço razoavelmente bem :). É um vilão à altura do Superman.
    Excelente post.

    ResponderEliminar