clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

quarta-feira, 24 de abril de 2013

HERÓIS EM AÇÃO: CAVALEIRO DA LUA





      A coberto da noite, um milionário com distúrbios de personalidade emprega a sua fortuna no combate ao crime, acreditando ser o avatar de um antigo deus egípcio. Assim nasceu o Cavaleiro da Lua.

Nome original: Moon Knight
Primeira aparição: Werewolf By Night nº32 (agosto de 1975)
Criadores: Doug Moench (história) e Don Perlin (desenhos)
Licenciadora: Marvel Comics
Identidade civil: Marc Spector (opera igualmente sob os pseudónimos Jake Lockley, Steven Grant e Ytzak Topol)
Local de nascimento: Chicago, Illinois (EUA)
Parentes conhecidos: Randall Spector (irmão falecido), Elias (pai falecido) e Seth Phalkon (suposto trisavô)
Base de operações: Los Angeles, Califórnia (cidade que sucedeu a Nova Iorque como base de operações do herói)
Filiação: Atualmente atuando a solo, ao longo da sua carreira heroica o Cavaleiro da Lua integrou várias equipas e organizações, entre as quais os Vingadores Secretos, os Marvel Knights, os Defensores e os Vingadores da Costa Oeste, apenas para citar as mais importantes.
Poderes e armas: Desprovido de quaisquer habilidades meta-humanas, o Cruzado do Crescente (um dos epítetos por que também é conhecida a personagem) possui, todavia, diversos atributos que fazem dele um oponente de respeito. A saber:

* Elevada resistência psicológica (conferida pelas múltiplas personalidades que coabitam no seu corpo);
* Competências investigatórias (Spector é um experimentado detetive);
* Especialista em disfarce e camuflagem;
* Especialista em armamento;
* Mestre em várias artes marciais
    
     Acresce a estas habilidades uma vasta parafernália de equipamento que inclui uma armadura de carbonadium (metal fictício cuja dureza é equivalente ao adamantium, ainda que mais flexível), ganchos, lançadores de dardos, jatos propulsores e lasers. Como meio de transporte preferido, o Cavaleiro da Lua pilota um avião em forma de quarto crescente, que lhe permite descolar e aterrar na vertical.
Fraqueza: Em diversas ocasiões, o Cavaleiro da Lua sofreu colapsos mentais, decorrentes de um profundo distúrbio de personalidade.

A estreia do Cavaleiro da Lua em Werewolf By Night  nº32 (1975).

História de publicação: Depois de, em 1975, ter debutado nas páginas do 32º número de Werewolf By Night, onde era apresentado como antagonista da personagem principal, o Cavaleiro da Lua granjeou a simpatia dos leitores, facto que lhe garantiu uma história a solo nos números 28 e 29 de Marvel Spotlight, ficando o argumento e a arte ainda a cargo dos seus criadores (respetivamente, Doug Moench e Don Perlin). Seguiram-se várias participações especiais em títulos estrelados por  outros super-heróis da Casa das Ideias, como Homem-Aranha, Hulk ou Defensores.
     Foi, no entanto, preciso esperar até 1980 para o Cruzado do Crescente ter direito a uma série própria: o primeiro volume de Moon Knight foi publicado até 1984, sendo o título cancelado ao 38º número. Antes de, no âmbito de uma tentativa de relançamento da personagem, o Cavaleiro da Lua ser incorporado nos Vingadores da Costa Oeste, foi publicada em finais de 1985 uma minissérie em seis edições intitulada Moon Knight - Fist of Konshu.
    Quase quatro anos volvidos, a Marvel tornaria a apostar num título próprio do herói: Marc Spector: Moon Knight teve uma longevidade ligeiramente superior à dos seus predecessores (1989-1994). No entanto, a série encerraria com a aparente morte do Cavaleiro da Lua. Não causando, portanto, estranheza que só em 2006 chegasse às bancas nova série própria da personagem. De permeio nesse longo interregno editorial, foi lançada, entre 1998 e 1999, uma minissérie em quatro edições com o fito de ressuscitar o malogrado herói.
      A partir de 2010, e na sequência do cancelamento no ano anterior de Vengeance of the Moon Knight,   o Cruzado do Crescente foi integrado nos Vingadores Secretos, em cujo título participou regularmente até ao início de 2012.
      Pelas suas inegáveis semelhanças com o Homem-Morcego, o Cavaleiro da Lua é muitas vezes descrito como sendo "o Batman com sérios problemas mentais". Existem, porém, diferenças importantes entre ambas as personagens no que à origem, personalidade e motivações diz respeito. Se o móbil de Bruce Wayne no combate ao crime é a vingança pelo assassínio dos pais, Marc Spector,  por seu turno, procura desesperadamente redimir-se das mortes que causou enquanto mercenário, acreditando ao mesmo tempo tratar-se do avatar de um ancestral deus egípcio. Soma-se a isto o facto de, contrariamente ao seu congénere da DC, Marc Spector não se ter limitado a criar um alter ego para levar a cabo a sua cruzada, mas sim quatro.

Capa do primeiro número da primeira série a solo do Cavaleiro da Lua.

Biografia: Natural de Chicago, Marc Spector é o filho impertinente de um rabi que logrou escapar das tropas nazis aquando da invasão da antiga Checoslováquia. A sua mãe morreu pouco tempo depois de o ter dado à luz e Marc recusou-se a seguir as passadas do pai, que considerava um cobarde por não ter revidado a nenhum dos ataques de que foi alvo ao longo da sua vida.
        O seu perfil violento levou-o a tornar-se pugilista. Certa noite, porém, o pai de Marc subiu ao ringue com o propósito de o dissuadir de continuar essa carreira de alto risco. Marc esmurrou o pai (que não voltaria a ver) e no dia seguinte alistou-se nos Fuzileiros.
       Ao cabo de duas comissões de serviço, Marc tornou-se um agente de campo da CIA. Durante esse período travou conhecimento com diversas pessoas que posteriormente interagiriam com o Cavaleiro da Lua. Randall Spector, seu irmão, foi uma delas. Depois de este último ter matado a namorada de Marc à época para assim encobrir um negócio de tráfico ilícito de armamento, Marc vingou-se, lançando-lhe uma granada. Dado como morto, Randall sobreviveu contudo à deflagração.
        Depois de abandonar a CIA, Marc encetou uma carreira de mercenário. Numa das suas primeiras missões, conheceu Jean Paul Duchamp, um operacional gaulês que Marc alcunharia de Francês e que se tornaria seu inseparável companheiro de aventuras.
        A eliminação de um sanguinolento ditador sul-americano rendeu uma pequena fortuna a Marc, que a investiu sabiamente, assim se tornando multimilionário.


       Na sua derradeira missão como mercenário, Marc viajou até ao Sudão, contratado por Raoul Bushman. Este, ao contrário de Marc que matava por dinheiro, parecia desfrutar dos assassinatos que perpetrava.
      Quando Bushman chacinou os habitantes de uma pequena aldeia nativa, bem como o arqueólogo Peter Alraune (por cuja filha, Marlene, Marc se apaixonara), para assim descobrir a localização da tumba de um antigo faraó egípcio, Marc afrontou o seu empregador. Em consequência dessa ousadia, Bushman feriu-o mortalmente, deixando-o moribundo no meio do deserto.
      Marc, porém, conseguiu arrastar-se até à tumba onde deixara em segurança Marlene e os elementos remanescentes da expedição. Prostrado aos pés da milenar estátua de Khonshu (o antigo deus egípcio da Lua), o espírito de Marc teve um encontro com a divindade no plano astral. Khonshu prometeu salvar-lhe a vida se, em troca, Marc se comprometesse a servi-lo até ao fim dos seus dias. Marc concordou, embora mais tarde tenha considerado que o referido encontro não terá passado de um delírio associado a uma experiência de quase morte.
       Tendo enfim encontrado um propósito na vida, Marc regressa aos EUA, acompanhado de Duchamp, Marlene (agora sua amante) e do ídolo de Khonshu, e escolhe Nova Iorque como novo lar. Dispondo de vastos recursos financeiros, Marc enceta uma carreira de combate ao crime, criando para esse efeito três alter egos (aos quais adicionaria posteriormente um quarto, Ytzak Topol): Steven Grant, o magnata; Jake Lockley (um taxista com ligações ao submundo nova-iorquino) e o Cavaleiro da Lua, o vigilante mascarado.
       Em consequência desse desdobramento de personalidades, o seu eu primordial foi-se diluindo, mergulhando Spector numa profunda crise identitária.

Um corpo, quatro almas. Da esq. para a dir.: Steven Grant, Marc Spector, Jake Lockley e Cavaleiro da Lua.


Curiosidade: Antes de, no início da década de 1980, a editora Abril adquirir os direitos de publicação do herói no Brasil, a sua antecessora batizara-o de Cavaleiro de Prata.
Noutros media: Refletindo o seu estatuto secundário no universo Marvel, aparte algumas participações esporádicas em videojogos inspirados no dito, o Cavaleiro da Lua não teve, até ao momento, direito a qualquer transposição para o pequeno ou grande ecrãs, apesar dos rumores postos a circular em 2006 e que davam conta do desenvolvimento de uma série televisiva estrelada pelo herói.

 


2 comentários:

  1. Gostei. Excelente post. Que tens para eu ler do cavaleiro da lua? ;)

    ResponderEliminar
  2. MUITO BOM O POST GOSTO MUITO DO CAVALEIRO DA LUA

    ResponderEliminar