clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

DO FUNDO DO BAÚ: «DESAFIO INFINITO»




      Portador da Manopla do Infinito, Thanos é investido de poder ilimitado. A pedido da sua amada Morte, ele erradica metade da vida do Universo. Poderá o titã insano ser detido?
 
 
Título original: The Infinity Gauntlet
Data: Julho a dezembro de 1991
Licenciadora: Marvel Comics
Argumento: Jim Starlin
Arte: George Pérez e Ron Lim
 
A insolência de Thanos na capa do terceiro volume de The Infinity Gauntlet.

 
Edição em Português
 
Data: Março a maio de 1993 (Brasil) e junho a agosto de 1995 (Portugal)
Editora: Abril Jovem (Brasil) e Abril/Controljornal (Portugal)
Categoria: Minissérie mensal em três volumes
Formato: Formatinho (13,5 x 19cm), colorido e com lombada agrafada
Número de páginas por edição: 84
Na minha coleção desde: 1995
 
Capa de Desafio Infinito nº1 (Abril Jovem).

 
História de publicação: O arco de histórias apresentado em The Infinity Gauntlet é o corolário dos eventos narrados em Silver Surfer (vol.4) nº36 (fevereiro de 1990) e na minissérie em duas edições The Thanos Quest, originalmente publicada nos EUA em setembro e outubro de 1990, tendo ficado a edição brasileira (Thanos - Em Busca de Poder) a cargo da Abril Jovem, em setembro de 1993.
       Após ter sido recrutado em 1991 para assumir a arte da saga, George Pérez - que, à época, trabalhava simultaneamente para a concorrente DC escrevendo e desenhando Wonder Woman , além da  série limitada War of Gods - viu-se obrigado, por questões de agenda profissional, a abandonar o projeto antes do seu término. Coube assim a Ron Lim substitui-lo, a partir do quarto número da minissérie.
       Pérez manter-se-ia contudo ligado à produção da saga, colorindo as capas produzidas por Ron Lim.
       The Infinity Gauntlet daria origem, anos depois, a duas sequelas: Infinity War e Infinity Crusade (respetivamente, Guerra Infinita e Cruzada Infinita, ambas editadas no Brasil e em Portugal).
 
O que é a Manopla do Infinito?

A Manopla e as seis Joias do Infinito.
 
      Trata-se de um artefacto concebido para comportar as seis Joias Espirituais que permitem ao seu portador controlar o Tempo, o Espaço, a Alma, a Realidade, a Mente e o Poder.
      Quando combinados, os poderes das seis gemas investem o seu usuário de capacidades ilimitadas. Razão pela qual, ao longo de incontáveis eras, elas foram distribuídas pelos Anciãos do Universo, de molde a evitar tão perigosa concentração de poder.
      No entanto, no clímax de uma longa demanda pelos confins do Cosmos, Thanos logrou apoderar-se de cada uma das seis Joias do Infinito, ascendendo assim a um estatuto divino.
     
 
Enredo:
 
      Na posse das seis Joias Espirituais incrustadas na Manopla do Infinito, Thanos torna-se omnipotente. Procurando desesperadamente ser merecedor da afeição da Morte, ele tenta impressioná-la acedendo a realizar um seu pedido: nada mais nada menos do que a erradicação de metade da vida senciente do Universo. Com um simples estalar de dedos (literalmente!), o titã insano sentencia à inexistência biliões de seres, incluindo parte dos defensores da Terra, designadamente o Quarteto Fantástico, Demolidor e a quase totalidade dos X-Men.
        Incapaz ainda assim de conquistar o amor da Morte, Thanos usa os poderes das joias para criar uma consorte. Batizada de Terráxia, a criatura é usada pelo vilão para tentar causar ciúmes à Morte.
       Reunidos pelo recém-regressado ao mundo dos vivos Adam Warlock, os heróis sobreviventes preparam-se para confrontar Thanos numa batalha que se adivinha suicida. No entanto, empenhado, uma vez mais, em impressionar a Morte, o titã insano limita-se a usar uma parcela do seu imenso poder na refrega com os defensores da Terra. Os quais acabam ainda assim facilmente sobrepujados pelo vilão.

Thanos leva facilmente de vencida os heróis terrestres.

 
       De seguida, Thanos encarrega-se de aprisionar algumas das principais entidades cósmicas:  Galactus, Estranho, Kronos, Epoch, Ódio/Amor, dois Celestiais, Mestre Ordem, Lorde Caos e Eternidade. Após derrotar esta última, Thanos abandona o seu corpo físico para se tornar a personificação do próprio Universo. Deixando dessa forma a sua carcaça vazia à mercê de Nebula, a sua presumível neta.
       Apoderando-se da Manopla do Infinito, Nebula desfaz todas as ações realizadas pelo avô: restaura a sua beleza desfigurada, ressuscita os mortos e repara os danos causados no Universo.
       Segue-se nova batalha de Thanos com os heróis terrestres e as entidades cósmicas pela posse da Manopla do Infinito. Esta acaba por ficar na posse de Adam Warlock. Thanos, por sua vez, aparenta cometer suicídio.
 
O momento em que Nebula se apodera da Manopla do Infinito.
 
        Warlock ignora as objeções dos seus aliados perante o seu anúncio de que irá conservar em sua posse a Manopla do Infinito e as seis Joias Espirituais. Converte-se dessa forma no ser mais poderoso do Universo.
         No epílogo da história, Warlock localiza Thanos a trabalhar numa quinta num planeta remoto. Satisfeito por o vilão não representar mais uma ameaça, decide deixá-lo viver em paz no seu exílio.
 
Adam Warlock, o novo senhor da Manopla do Infinito.