clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

DO FUNDO DO BAÚ



   
   Tenho neste momento em mãos uma tarefa ciclópica: catalogar todo o meu acervo de banda desenhada de super-heróis. E não pensem que se trata de um exagero da minha parte.
    Composto por uma plêiade de coleções, minisséries e edições especiais acumuladas nos últimos 23 anos, trata-se de um espólio vastíssimo (até ao momento, foram já catalogadas cerca de  2500 revistas  onde pontuam verdadeiras relíquias. Estes tesourinhos (nada deprimentes) correspondem a edições cujo valor lhes pode ser atribuído tanto pela sua raridade como pela sua carga simbólica e afetiva. Para um colecionador inveterado como eu, cada edição tem um história associada que não raras vezes me transporta a épocas em que tudo era (ou parecia ser) mais simples.
    Embora só em 1988 tenha começado a colecionar os vários títulos Marvel e DC publicados em Portugal e no Brasil por um sem número de editoras (algumas das quais desrespeitaram grosseiramente os leitores), comecei a ler e a comprar esse tipo de publicações por volta de 1982. À época, o meu mecenas (sem o qual nada disto teria sido possível) era o meu pai. Nunca me recusou comprar o que lhe pedia e estou-lhe eternamente grato por isso.
    Assim como o Tio Patinhas tem a sua moedinha nº1 que funciona como talismã, também eu tenho, entre milhares de edições, aquela que foi a minha primeira aquisição e que aqui partilho convosco. Como devem imaginar, este velhinho número do "Almanque do Capitão América", tem um enorme valor sentimental para mim pois foi o primeiro que comprei quando tinha cerca de 6 anos. Já o valor de mercado ronda os 5 euros.
   Curiosamente, quando anos depois decidi comprar regularmente BD, também foi ao título "Capitão América" (agora já sem o "almanaque" que se manteve entre os números 29 e 89) que coube a honra de lançar os alicerces daquilo que alguns (com manifesto exagero, convenhamos) já classificaram como "império". Até há bem pouco tempo, esta foi a minha coleção mais numerosa (197 dos 214 números lançados), entretanto destronada por "Homem-Aranha" (199 de 205 números publicados).
  Originalmente publicado no Brasil em dezembro de 1982, o nº43 de "Almanque do Capitão América" contava nas suas páginas com uma aventura do Capitão e do Falcão (seu parceiro à época e sem qualquer relação com o ex-avançado do FCP) , além de um história do Homem de Ferro e outra do Punho de Ferro (um número sem carência de ferro, portanto).
   Ainda hoje sinto um calafrio de prazer ao folhear as páginas desta preciosidade.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

HERÓIS EM AÇÃO: SUPERMAN

Superman desenhado por Alex Ross.
     Inauguro hoje uma nova rubrica que, juntando o útil ao agradável, servirá (assim o espero) para dinamizar o blogue e dar a conhecer um pouco mais a história e as estórias por detrás de alguns dos super-heróis mais populares.
    Escolhi o título "Heróis em Ação" em homenagem a uma velha coleção da editora Abril, publicada mensalmente  entre 1984-85 (apenas foram lançadas dez edições), e que só recentemente consegui acrescentar ao meu vasto acervo de BD.
    Em cada entrada apresentarei uma pequena biografia da personagem em questão, dando a conhecer a sua história, poderes e algumas curiosidades.
   Cabe ao Último Filho de Krypton a honra de estrelar este primeiro "Heróis em Ação". Mesmo quem pensa saber tudo sobre o Superman, poderá ter algumas supresas lendo o texto abaixo...
Criadores: Jerry Siegel (argumento) e Joe Shuster (arte)
Primeira aparição: Action Comics nº1 de junho de 1938 (embora a data de criação seja 1933)
Publicado por: Detective Comics (DC)
Nome verdadeiro: Kal-El (significa "Filho das Estrelas" em kriptoniano e tem origem no grego arcaico)
Identidade civil: Clark Kent
Família conhecida: Jor-El e Lara (pais biológicos), Martha, Jonathan Kent (pais adotivos), Kara Zor-El (prima), Lois Lane (esposa)
Filiação: Liga da Justiça
Origem: Krypton
Base de operações: Metrópolis
Poderes e habilidades: poder de voo, superforça, visão de calor, visão de raios x, visão telescópica, visão microscópica, invulnerabilidade (exceto a kripotnita e a magia), supervelocidade, sopro congelante, superaudição, etc.
    Face à iminente destruição do planeta Krypton, o prestigiado cientista Jor-El lançou o seu único filho, Kal-El, ainda bebé rumo à Terra a bordo de uma nave espacial experimental. Chegado ao nosso mundo, o pequeno Kal-El foi adotado pelo casal Martha e Jonathan Kent que o criaram e educaram como a um filho, batizando-o de Clark Kent.
    À medida que crescia, Clark foi desenvolvendo poderes sobre-humanos, em resultado da exposição ao nosso sol amarelo uma vez que o seu mundo natal era irradiado por um sol vermelho (exposto a ele, todos os superpoderes do Superman ou de qualquer outro kryptoniano são anulados).
   Depois de uma adolescência pouco comum em Smallville (Kansas), Clark mudou-se para Metrópolis onde iniciaria a sua carreira como jornalista e onde conheceria a sua eterna amada: Lois Lane. Foi lá também que se cruzou (ou reencontrou consoante as diversas versões da história) com o seu némesis Lex Luthor.
   Combatendo o Mal e a injustiça nas suas múltiplas formas, Superman é o campeão dos oprimidos, o heroi dos heróis, um raio de esperança cruzando os céus.
   No entanto, originalmente, Superman era um vilão telepata(!). A ideia não vingou e a personagem foi reformulada pelos seus jovens criadores. Só em 1941 o Homem de Aço adquiriu o poder de voo. Antes disso, limitava-se a pular por cima de prédios e outros obstáculos. Outra curiosidade prende-se com a repetição da letra L no nome de várias personagens coadjuvantes: Lois Lane, Lara, Lana Lang, Lex Luthor... Desconhece-se o motivo para essa situação.
  Outra peculiaridade prende-se com o facto de Superman, ao contrário da maioria dos outros superseres, se disfarçar de humano para ocultar a sua verdadeira identidade. Apesar dos seus poderes semidivinos, ao vestir a pele do desastrado repórter Clark Kent, Superman tenta passar por um de nós talvez por ter sempre presentes as sábias palavras proferidas por Jor-El antes do enviar para a Terra: "Parecer-te-ás com eles, mas nunca serás um deles".
  A estreia de Superman na TV ocorreu em 1948, numa série protagonizada por Kirk Alyn. Foi contudo em 1978 que teve direito a uma megaprodução realizada por Richard Donner e com o inigualável Christopher Reeve com o Homem de Aço. Está previsto para 2013 o lançamento do filme "Superman, The Man of Steel", realizado por Zack Snyder ("Watchmen") e tendo como protagonista Henry Carvill (os interessados podem pesquisar no Google sobre este ator britânico que brilhou na série televisiva "Tudors".

Saudações, visitante.
Bem-vindo(a) à Fortaleza da Solidão.
Trata-se de um espaço (sem fins comerciais) para a divulgação de banda desenhada Marvel, DC e de outras editoras, publicada em Português ao longo das últimas décadas.
Aqui encontrarás biografias individuais de personagens, curiosidades, títulos antigos e atuais e todo o género de material relacionado com o universo super-heroístico (filmes, séries televisivas, livros, etc.).
Espero que, com o tempo, o presente blogue se transforme num ponto de encontro virtual de leitores e colecionadores das histórias aos quadradrinhos lançadas em Portugal e no Brasil, no qual possam ser partilhadas informações, opiniões e projetos daqueles que, como eu,  adoram esse subgénero da chamada 9º arte.
Escolhi o título "Fortaleza da Solidão" em homenagem àquele que, entre a plêiade de heróis e heroínas que me fazem voar nas asas da imaginação, é o campeão da justiça e, não obstante a sua origem extraterrestre, é mais humano do que muitos de nós: Superman. Mas também porque os super-heróis sempre foram, no fundo, os meus amigos mais leais nunca me abandonando e fazendo de mim uma pessoa melhor.
Entra e diverte-te pois é esse o principal objetivo deste projeto.