clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

sexta-feira, 15 de junho de 2012

HERÓIS EM AÇÃO: HELLBOY



       Criação suprema de Mike Mignola, Hellboy é um demónio vindo de outra dimensão cuja Mão Direita do Destino pode libertar um mal inimaginável.

Nome original: Hellboy
Primeira aparição: San Diego Comic-Con Comics nº2  (agosto de 1993)
Criador: Mike Mignola
Licenciadora: Dark Horse Comics
Identidade civil: Anung un Rama
Filiação: Departamento de Pesquisa e Defesa Paranormal (DPDP)
Base de operações: móvel
Poderes e armas: Superforça, sentidos aguçados, resistência sobre-humana, longevidade, fator de cura, vasto conhecimento do sobrenatural e capacidade inata para compreender línguas mágicas são os principais poderes de Hellboy. Aos quais se soma a Mão Direita do Destino: bastante maior do que a esquerda, a sua mão direita é feita de pedra vermelha e pode servir como chave para libertar o demónio Ogdru Jahad, que desencadearia o apocalipse. Também costuma transportar no seu cinto de utilidades ervas mágicas, ferraduras, relíquias sagradas, granadas e uma vasta parafernália de instrumentos. Quase como uma extensão natural do seu corpo, a pistola que lhe foi ofertada pelo antigo super-herói Tocha da Liberdade é a arma de eleição de Hellboy sempre que enfrenta ameaças sobrenaturais.

A estreia de Hellboy em San Diego Comic-Con Comics nº2 (1993).
Biografia: Anung un Rama, o ser que posteriormente se tornaria Hellboy, foi descoberto na noite de 23 de dezembro de 1944 numa ilha da costa escocesa. Convocado à Terra pelo pérfido mago russo Grigori Rasputin, ao serviço dos nazis, o demónio bebé materializou-se a quilómetros de distância, no adro de uma igreja em East Bromwich. Aí foi encontrado por uma equipa de soldados americanos com a missão de investigar o estranho ritual levado a cabo por Rasputin. Entre eles, encontrava-se o Professor Trevor Bruttenholm, do Departamento de Pesquisa e Defesa Paranoramal (DPDP). Bruttenholm batizou o pequeno demónio de Hellboy e levou-o para as instalações do DPDP onde seria treinado em segredo para ser um investigador do paranormal.
                   Em 1952, com apenas oito anos de idade e após uma temporada numa base aérea norte-americana no Novo México, Hellboy ingressou no DPDP. Nesse mesmo ano, foi-lhe atribuído pelas Nações Unidas o estatuto de humano honorário.
                 À medida que os anos passavam, o seu corpo ia envelhecendo mas esse processo não era acompanhado pela sua mente. Com efeito, Hellboy tem a aparência de um homem de meia-idade mas a maturidade emocional e psicológica de um adolescente, o que se traduz numa proverbial irreverência. Interessou-se ao longo dos anos por diversos temas ligados ao Oculto e ao sobrenatural, tais como possessões demoníacas, assombrações, exorcismos, encantamentos e artefactos místicos. Isso permitiu-lhe tornar-se no principal agente de campo do DPDP, viajando pelos quatro cantos do mundo e enfrentado múltiplas ameaças sobrenaturais. A ele juntou-se um lote de criaturas bizarras dotadas de poderes sobre-humanos: Liz Sherman (uma jovem pirocinética); Abe Sapien (um humanoide anfíbio e telepata); Roger (uma enorme homúnculo);  Johann Kraus (o espírito de um médium num fato de contenção); Kate Corrigan (uma professora de folclore da Universidade de Nova Iorque); e o capitão Ben Daimio (um militar das operações especiais com experiência no Oculto).
               Durante uma visita à igreja de East Broomwich (local do seu "nascimento"), Hellboy descobriu que foi concebido há 300 anos por uma bruxa e um demónio. O que prova que ele é, na realidade, meio-humano.

Hellboy: Seed of Destruction , uma das melhores grapich novels do herói demoníaco.

Historial de publicação: Antes de ser publicado pela Dark Horse Comics, Hellboy foi apresentado aos executivos da concorrente Detective Comics (DC). Embora tenham adorado o conceito desenvolvido por Mignola, desagradou-lhes o envolvimento de temáticas relacionadas com o Inferno.
               As primeiras histórias da personagem foram concebidas e desenhadas por Mike Mignola, sendo o argumento da autoria de John Byrne. Entre elas, encontra-se uma história de quatro páginas  a preto e branco, lançada durante a convenção de fãs San Diego Comic-Con em agosto de 1993. Dois anos antes, porém, Hellboy já figurara num panfleto onde era apresentada uma pequena biografia de Mike Mignola.
Audaz e irreverente. Assim é Hellboy.

Curiosidades: De acordo com Mignola, a personalidade de Hellboy foi decalcada da do seu próprio pai, um trabalhador que não raras vezes regressava a casa com mazelas mas que conservava sempre o bom humor.
                O nome "Hellboy" nasceu de uma private joke de Mignola, que achava o nome hilário.
                As aventuras de Hellboy e o estilo artístico de Mignola, foram fortemente influenciados pela arte de Jack Kirby, bem como pela obra de Bram Stroker (o criador de Drácula), o escritor preferido de Mike.

Noutros media: Depois do sucesso do filme Hellboy (vide texto anterior), foi lançada uma sequela em 2008: Hellboy II: The Golden Army. Ambos protagonizados por Ron Perlman e ambos contribuindo para aumentar a visibilidade da personagem junto do grande público.
                           Fora do grande ecrã, Hellboy também já teve direito a dois filmes de animação  (Hellboy Animated: Sword of Storms e Hellboy Animated: Blood and Iron), lançados diretamente no circuito de vídeo e com as vozes dos atores que deram vida às personagens nos filmes referidos acima.
Hellboy ao serviço do DPDP também no cinema.
                 

terça-feira, 12 de junho de 2012

BD CINE APRESENTA: HELLBOY






        Surpreendendo tudo e todos, em 2004 o filme Hellboy catapultou para a ribalta um super-herói pouco ortodoxo e praticamente desconhecido da generalidade do público português.
         Inicia-se aqui um dossiê em três partes sobre a obra-prima de Mike Mignola.

Título original: Hellboy
Ano: 2004
País: EUA
Duração: 122 minutos
Realização: Guillermo del Toro
Argumento: Guillermo del Toro e Peter Briggs
Elenco: Ron Perlman (Hellboy), Rupert Evans (John Myers), Selma Blair (Liz Sherman), Doug Jones (Abe Sapien) e Ladislav Beran (Karl Kroenen).
Orçamento: 66 milhões de dólares
Receitas: 99,3 milhões de dólares

Ron Perlman encarna Hellboy na perfeição.

Sinopse: Em 1944, nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, os Nazis construíram um portal interdimensional na costa escocesa. Com a ajuda do mago russo Rasputin, pretendiam libertar o demónio Ogdru Jahad para que este os ajudasse a derrotar os Aliados. A operação é comandada por Karl Kroenen, um assassino de elite ao serviço de Hitler.
                Uma força-tarefa aliada é enviada para o local a fim de destruir o portal. Rasputin é absorvido durante o processo enquanto Kroenen consegue fugir. No final, os Aliados descobrem, saído do portal, um demónio infantil com a mão direita feita de pedra. O qual é prontamente batizado de Hellboy.
               Seis anos depois, o agente do FBI John Myers é transferido para o Departamento de Pesquisa e Defesa Paranormal (DPDP), onde conhece um Hellboy já adulto, bem como um lote de criaturas bizarras dotadas de poderes sobrenaturais. É o caso de Abe Sapien, um humanoide anfíbio e telepata, e de Liz Sherman, uma jovem com habilidades pirocinéticas.

O sinistro Kroenen.

                Entretanto, Kroenen ressuscita Rasputin nas montanhas da Moldávia e, juntos, libertam um demónio chamado Sammael. Rasputin concede à criatura o poder de reencarnar e de transferir a sua essência, fazendo com que dois dos seus ovos ecludam sempre que uma das duplicatas morre.
                 A capacidade de Sammael para se multiplicar torna-se um problema à medida que Hellboy o mata repetidamente. Abe Sapien é ferido enquanto destrói alguns dos ovos da criatura e Kroenen, cujo corpo mutilado possui algumas partes mecânicas, desliga-se, fingindo-se morto. O seu pretenso cadáver é transportado para o DPDP.

Hellboy enfrenta o demónio Sammael.

                Rasputin materializa-se no DPDP em busca de Hellboy, que acredita ser a chave para um gigantesco cataclismo que destruirá o mundo. Entretanto, uma equipa liderada por Hellboy é enviada para Moscovo onde fora descoberto o túmulo de Rasputin. Na missão participam também John Myers e Liz Sherman. Esta acaba por ter a sua alma drenada pelo sinistro mago russo. A fim de obrigar Hellboy a libertar Ogdru Jahad, Rasputin ameaça não devolver Liz à vida. Hellboy desperta então o seu verdadeiro poder de Anung un Rama, fazendo com que os seus chifres voltem a crescer.
               No entanto, Ogdru Jahad não é libertado porque John Myers relembra Hellboy da sua capacidade de escolher o seu próprio caminho. Retomando a sua forma habitual, Hellboy volta a selar o portal interdimensional e mata Rasputin.Este, porém, fora possuído por um esbirro de Ogdru Jahad. O corpo de Rasputin é destroçado, dele emergindo um enorme monstrengo. Hellboy deixa-se engolir por ele a fim de detonar um cinto de de explosivos no seu bojo.

Liz Sherman, a bela mutante pirocinética por quem Hellboy é apaixonado.


Curiosidades:
* Vin Diesel foi o primeiro ator cogitado para encarnar Hellboy no cinema;
* Mike Mignola, criador de Hellboy, faz um pequeno cameo vestido de cavaleiro numa multidão fantasiada ameaçada por Sammael;
* O argumento do filme é baseado em várias histórias de Hellboy;
* Numa das paredes do seu quarto, Hellboy tem um poster de Ghost, outra personagem sobrenatural da editora Dark Horse;
* Depois de maquilhado, a única parte visível do corpo de Ron Perlman são as suas pálpebras.
Prémios e nomeações: Hellboy foi nomeado para cinco categorias dos Saturn Awards em 2005, incluindo Melhor Maquilhagem (a única em que venceu). A revista Empire colocou-o na 11ª posição na sua lista dos vinte melhores filmes baseados em personagens de banda desenhada.

Abe Sapien, humanoide anfíbio e telepata.

Minha avaliação:  60%  É sempre refrescante ver um filme com um herói pouco convencional como Hellboy. Ron Perlman foi uma escolha acertada para o papel  pois, a par da pose de duro, explora um lado mais humano da personagem, tornando-a irresistível. Infelizmente, o enredo surge por vezes fraturado.Em grande medida devido às cenas narrativas desnecessárias que quebram o ritmo da ação. Outra das pechas deriva da reduzida densidade psicológica das personagens coadjuvantes, embora compensadas pela personalidade cativante do protagonista. Não deixa, contudo, de ser um bom filme baseado no universo dos comics, muitos furos acima de algumas produções da Marvel e da DC.