clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

HERÓIS EM AÇÃO: SPAWN


 
   Das profundezas abissais do 8º Círculo do Inferno, emerge um dos mais sombrios e irreverentes super-heróis da atualidade: Spawn.
   Para quem achava que o Justiceiro era da pesada, conheçam agora a tenebrosa origem deste soldado infernal destinado a travar a batalha do Armagedão que decidirá o futuro da Humanidade.

Criador: Todd McFarlane
Primeira aparição: Spawn nº1 (maio de 1992)
Licenciadora: Image Comics
Identidade civil: Albert Francis Simmons (Al Simmons)
Origem: Nova York
Família conhecida: Wanda Blake (ex-esposa)
Base de operações:Nova York
Filiação: CIA, A6, Inferno
Poderes e armas: Força, velocidade e resistência sobre-humanas, voo, fator de cura, teletransporte, ressurreição, poderes místicos, empatia, rajadas necroplásmicas e simbiose com um traje vivo.

     Al Simmons era um soldado ao serviço do governo norte-americano que executava todo o tipo de missões de alto risco em qualquer ponto do globo. Seguindo ordens de seu superior Jason Wynn na ultrassecreta agência A6, Simmons era destacado principalmente para missões de assassínio. Tornou-se heroi nacional ao salvar o presidente americano de um atentado.
    Entretanto, Al começou a tornar-se incómodo para Wynn a partir do momento em que passou a questionar as suas missões. Quando tais questionamentos se tornaram intoleráveis, Simmons foi traído e morto durante uma operação secreta.
    Em resultado dos seus muitos crimes em vida, Simmons foi enviado para o Inferno. No 8º Círculo fez um pacto com o demónio Malebolgia para voltar à Terra e para junto da sua amada esposa, Wanda Blake. Todavia, o pacto incluía a obrigação de Al se tornar um Spawn, um soldado infernal vestindo um traje simbionte. Malebolgia costuma criar Spawns com intervalos de 50 anos (pois a criação de tais soldados consome o seu poder) para liderar as suas forças no Armagedão.      
   Quando Spawn regressou à Terra, 5 anos haviam transcorrido e Wanda estava agora casada com o antigo melhor amigo de Al, Terry Fitzgerald. Confuso e furioso, Al sofre ao ver Wanda com o seu velho amigo. Pior ainda: ela tinha com este uma filha chamada Cyan, o que deixou Al ainda mais arrasado, pois isso comprovava que fora estéril e portanto não podia nunca ter dado uma filha a Wanda quando era vivo. Irreconhecível no seu aspeto disforme, Spawn  é atormentado pelo Palhaço,  um anão sinistro de humor retorcido que é, na verdade, um demónio chamado Violador, mandado para confundi-lo e colocá-lo no caminho do Mal.
    A partir daí, Spawn passa a viver nos becos mais esconsos de Nova York, numa região conhecida por Cidade dos Ratos. Faz amizade com os mendigos que perambulam pelos becos, entre eles Botas, apaixonado por filmes de cowboys e pelas suas botas achadas no lixo. Posteriormente, Botas revelar-se-ia um anjo chamado Bellazikkal. Outro amigo de Spawn foi Cagliostro, um velho sempre envolto em mistério e profundo conhecedor  do Céu, do Inferno,  de Malebolgia, etc. Durante muito tempo o passado de Cagliostro foi um enigma. Seria, porém,  revelado que Cagliostro é na verdade Caim, filho de Adão e Eva, assassino do seu irmão Abel. Por ter sido o primeiro assassino da História, Cagliostro tornou-se o primeiro Spawn, que ainda resiste graças a uma ínfima dose de necroplasma que  lhe resta. E foi com a ajuda deste 'Spawn aposentado' que Simmons aprendeu a controlar os seus poderes infernais, com os quais derrotou a Caçadora de Spawns Ângela, quando a mesma invadiu a Cidade dos Ratos para matar Spawn antes que os seus poderes se desenvolvessem mais. Ângela contudo trairia o Céu e unir-se-ia a Spawn.
     Inicialmente, a arte da revista era feita pelo próprio McFarlane, que depois passou o lápis para Greg Capullo, passando a fazer apenas a arte-final. Anos depois, o traço ficou sob responsabilidade de Angel Medina e Capullo passou a desenhar apenas as capas. O nome Al Simmons é um tributo de McFarlane a um antigo companheiro de quarto nos tempos de estudante.
     Em 1997, estreou nas salas de cinema de (quase) todo o mundo o filme "Spawn" (que por cá foi traduzido como "O Justiceiro das Trevas"), com Michael Jai White no principal papel, John Leguizamo como Palhaço / Violador e realizado por Mark A.Z. Dippé. Seguindo o exemplo de Stan Lee, Todd McFarlane não resistiu a fazer um pequeno cameo no filme, disfarçado de mendigo.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

ÚLTIMAS AQUISIÇÕES


    Dentre as minhas últimas aquisições (que incluem várias minisséries completas e edições especiais inéditas em Portugal), destaco Graphic Album nº3, lançado no Brasil em 1990 pela editora Abril.
    Trata-se da edição em Português da aclamada série "American Flagg : Hard Times" da autoria do genial Howard Chaykin, originalmente publicada em 1983 pela First Comics nos EUA.
    Nesta trama futurista de corrupção política e social, a ação tem lugar em 2031 num mundo virado do avesso após uma crise global ocorrida em 1996 e que resultou, entre outras coisas, no colapso da União Soviética e da economia norte-americana. Em consequência desses eventos, a elite governante dos EUA exilou-se em Marte (colonizado anos antes). Emergiram entretanto vários candidatos (sendo o principal o Brasil) a ocuparem o vazio deixado pelo desaparecimento das duas superpotências do século XX.
     Numa Chicago decadente e dominada pela misteriosa Plex (uma espécie de megacorporação que governa os EUA), grassa a anarquia com bandos criminosos a combaterem impunemente nas ruas. Esta onda de violência é instigada por mensagens subliminares veiculadas através de um popular programa televisivo. O autor não previu, todavia, o advento da Internet.
     É então que surge Reuben Flagg, ex-ator e ex-cantor pop nascido em Marte, que depois de perder o emprego, se alista nos Plexus Rangers, uma força paramilitar de manutenção da ordem. Idealista, Flagg recusa contemporizar com os intrincados esquemas de corrupção e tenta aplicar a justiça numa cidade que mais parece a Sodoma e Gomorra do século XXI. Drogas, álcool, violência e muito sexo marcam o quotidiano dos seus habitantes. Contudo, os desportos organizados foram há muito ilegalizados, embora continuem a praticar-se clandestinamente.
     Ao longo das páginas desta eletrizante história, ficamos também a saber que, não obstante toda a fornicação, não nascem crianças há cerca de vinte anos. A explicação reside numa esterilização supostamente involuntária ocorrida anos antes.
     Por esta magnífica obra destinada ao público adulto, Howard Chaykin arrecadou nove Eagle Awards (prémios correspondentes aos Óscares para histórias aos quadradinhos), incluindo na categoria de Melhor Personagem Principal (Reuben Flagg) e Melhor Personagem Secundária (Raul). Convém salientar que este último é um gato falante...
    Orgulho-me de ter adicionado esta obra-prima da BD à minha coleção onde nem todos os heróis têm superpoderes ou vestem collants.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

NÉMESIS: MAGNETO




     Abram alas para o mestre do magnetismo, para o ativista radical da causa mutante, para um dos mais carismáticos (e temíveis) supervilões do universo Marvel: MAGNETO!
     Inimigo primordial dos X-Men, Magneto foi, em tempos, amigo e companheiro do mentor da equipa, o Professor Charles Xavier. Ambos lutaram pela causa mutante, cada um à sua maneira. Xavier e Magneto foram, com efeito, decalcados de duas personagens históricas: Martin Luther King e Malcom X, defensores dos direitos cívicos da população afro-americana na década de 1960. Enquanto o primeiro levou a cabo uma campanha não violenta e de amor ao próximo, sonhando com o dia em que as diferentes raças coabitariam pacifamente, o segundo enveredou pelo racismo e pela violência. As posições de ambos estão plasmadas, respetivamente, em Charles Xavier e em Magneto. Ao contrário do seu ex-amigo, Magneto defende que a Humanidade deve ser subjugada (ou mesmo exterminada) para assim permitir a ascensão do homo superior que ele considera ser o próximo estágio evolutivo, sendo portanto o homo sapiens uma espécie obsoleta e inferior.
      Entre outras coisas, numa daquelas ironias em que a BD é tão profícua, Magneto é também o pai de três super-heróis: Mercúrio, Feiticeira Escarlate e Polaris (esta última foi em tempos uma X-Man e herdou uma fração dos poderes magnéticos do progenitor).

Criadores: Stan Lee e Jack Kirby
Primeira aparição: X-Men nº 1 (setembro de 1963)
Licenciadora: Marvel Comics
Identidade civil: Erik Magnus Lehnsherr (nascido Max Eisenhardt)
Origem: desconhecida
Família conhecida: Magda (esposa cujo paradeiro é desconhecido), Anya (filha falecida), Wanda Maximoff,  Pietro Maximoff e Lorna Dane (filhos)
Filiação: Irmandade dos Mutantes,  Acólitos, Clube do Inferno, etc.
Poderes e habilidades: Magneto possui o poder de controlar todas as formas de magnetismo. Isso permite-lhe voar, gerar campos magnéticos de elevada resistência e manipular metais em qualquer estado (líquido, sólido, etc.). Desconhece-se, porém, se os seus poderes têm origem psiónica ou biológica.   
   
    Nascido Max Eisenhardt, Magneto e a sua família foram perseguidos pelos nazis durante a II Grande Guerra por serem de origem judaica. Depois de ver todos os seus familiares serem mortos, foi mandado para o campo de concentração de Auschwitz. Foi  lá que conheceu uma cigana chamada Magda, e os dois fugiram do campo  durante uma revolta. Com muita dificuldade, ele reconstruiu a sua vida, teve uma filha com Magda, Anya, e passou a atender pelo nome "Magnus". Apesar de ser chantageado por um capataz a dar metade do seu salário para manter o seu emprego, o casal vivia tranquilamente numa vila russa. Ao recusar-se a continuar a aceitar a chantagem, Magnus teve sua casa incendiada por esse mesmo capataz perante a indiferença dos vizinhos. Após ver sua filha ser queimada viva, ele utilizou os seus dons de controlo do magnetismo para matar todos que estavam no local, revelando publicamente os seus poderes mutantes pela primeira vez.
    Chocada com a cena, Magda  abandona-o, sem que ele soubesse que ela estava grávida de gémeos: um menino igual ao pai (Pietro) e uma filha igual a mãe (Wanda). Logo após o parto, Magda fugiu, deixando as crianças aos cuidados de um cigano de nome Django Maximoff. As mesmas crianças que, anos depois, desenvolveriam habilidades mutantes e assumiriam as identidades de Mercúrio e Feiticeira Escarlate.
    Num hospital em Israel,  Magnus conheceu o Professor Charles Xavier. Os dois tornaram-se aliados, a despeito das suas posições antagónicas sobre o futuro dos mutantes. Depois de  ambos resgatarem uma amiga mútua, Gabrielle Haller, do Barão Strucker, Magnus apoderou-se da reserva de ouro do vilão e  separou-se de Charles passando a assumir o nome de Magneto. Desde então, ele abandonou a crença na Humanidade, passando a acreditar que somente dominando-a, os mutantes poderiam assegurar a sua sobrevivência. Magnus passa a atuar como terrorista, lutando a favor dos mutantes contra a Humanidade. N sua primeira aparição pública, ele entra em conflito com a formação original dos X-Men (também na sua primeira missão), ao tentar roubar mísseis nucleares americanos.
     Pouco depois, funda a sua própria equipa de mutantes superpoderosos: a Irmandade dos Mutantes.
     A fim de bloquear os ataques telepáticos de Xavier, Magneto usa um capacete psiónico. Certa vez, quase matou Wolverine depois de lhe extrair o adamantium (metal fictício) que recobre o seu esqueleto.
     Na primeira trilogia de X-Men no cinema, coube ao conceituado ator Ian McKellen usar o manto do mestre do magnetismo. Já em "X-Men: First Class" (2011), o vilão é representado por Michael Fassbender.