clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

BDCINE APRESENTA: HOMEM-ARANHA

 
     Depois de muitos boatos e projetos abortados, em 2002 os fãs do Homem-Aranha viram finalmente realizado o velho sonho de verem o seu herói favorito a escalar paredes e balançar-se nas teias numa megaprodução hollywoodesca com grandes efeitos especiais.
     Sendo o aranhiço uma das minhas personagens de eleição, foi com enorme satisfação que assisti à sua estreia no cinema. As expetativas eram grandes mas, no final, não me senti defraudado.

Título original: Spider-man
Ano: 2002
País: Estados Unidos da América
Duração: 121 minutos
Realizador: Sam Raimi
Argumento: David Koepp
Elenco: Tobey Maguire (Peter Parker/Homem-Aranha), William Dafoe (Norman Osborn/Duende Verde), James Franco (Harry Osborn) e Kirsten Dunst (Mary Jane Watson)
Orçamento: 140 milhões de dólares
Receita: 821.709 milhões de dólares


O Homem-Aranha e o Duende Verde digladiam-se nos céus de Nova Iorque.
Sinopse: Peter Parker (Tobey Maguire) é um adolescente comum que mora com os seus tios, Ben e May, desde que os seus pais faleceram. Inteligente e com um grande interesse pela ciência, Peter tem contudo dificuldade em relacionar-se com os colegas, por ser tímido e considerado um nerd. Até que, numa visita de estudo a uma demonstração científica sobre aranhas geneticamente modificadas, um acidente faz com que um desses insetos pique Peter. A partir de então, o seu corpo é quimicamente alterado, fazendo com que Peter possa escalar paredes e tetos, lançar um fluido ultra-resistente semelhante a uma teia de aranha e seja dotado de um "sentido de aranha", que o avisa sempre que há perigo por perto. Adquire ainda super-força e visão ampliada. Inicialmente, Peter usa os seus novos poderes para ações egoístas  e  ganha dinheiro participando em combates de luta-livre transmitidos na TV, sob o disfarce de "Aranha-humana". Ao anunciá-lo, o apresentador confunde-se e  chama-o de "Homem-Aranha". Porém, ao permitir que um ladrão fuja por não considerar sua função capturá-lo, o patife acaba por assassinar o seu tio Ben. A partir de então, Peter aprende que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades (frase que ouvira do seu falecido Tio Ben) e decide  combater o crime. Nasce assim o espetacular Homem-Aranha. Ao estrear-se como super-herói, ele  logo encontra  o seu primeiro grande desafio: um supervilão psicótico que se autodenomina  Duende Verde (William Dafoe). Esse inimigo na verdade é o empresário Norman Osborn que, após ter sido exposto a um gás experimental, desenvolveu uma segunda personalidade maligna associada a um intelecto e força sobre-humanos.
Peter aprende que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades.

Trailer: http://www.imdb.com/title/tt0145487/
Prémios e indicações: Indicado em 2003 para o Óscar de Melhores Efeitos Especiais e Melhor Som; indicado nas categorias de Melhor Filme de Ficção Científica, Melhor Realizador, Melhor Ator e Melhor Atriz no Prémio Saturno; vencedor na categoria Melhor Beijo dos MTV Movie Awards.
Curiosidades:
- Uma feroz batalha judicial em torno dos direitos de adaptação cinematográfica adiou durante anos a realização do projeto.
- O realizador James Cameron (Titanic) chegou a interessar-se pelo projeto e apresentou um resumo do argumento em que Electro seria o vilão eleito para enfrentar o Homem-Aranha.
- Na cena em que o Homem-Aranha se torna famoso, é possível ver, por lapso de edição, as torres  do World Trade Center, destruídas pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.
- No clímax do filme, o Homem-Aranha e o Duende Verde digladiam-se na ponte sobre o Rio Hudson depois de este último ter raptado Mary Jane. Uma variante de um dos episódios mais trágicos da vida do aracnídeo: a morte de Gwen Stacy (personagem omitida no filme).
Minha classificação: 70%

Um beijo que entrou para os anais da história do cinema.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

HERÓIS EM AÇÃO: CAPITÃO MARVEL (2ª PARTE)

   
     Se, como vimos na primeira parte deste texto, o seu congénere da Marvel é um extraterrestre com poderes cósmicos, o Capitão Marvel/SHAZAM não passa de um miúdo que, ao pronunciar uma palavra mágica, se transforma no Mortal Mais Poderoso da Terra.
     Conheçam agora o percurso atribulado de um dos mais antigos super-heróis no ativo...
Nome original: Captain Marvel ou SHAZAM
Primeira aparição: Whiz Comics nº2 (fevereiro de 1940)
Criadores: C.C. Beck (arte) e Bill Parker (texto)
Licenciador: Fawcett Comics (1939-1953) e Detective Comics (desde 1973)
Identidade civil: William Joseph "Billy" Batson
Filiação: Família Marvel, Sociedade da Justiça da América, Liga da Justiça da América
Poderes e habilidades: SHAZAM é um acrónimo para Salomão, Hércules, Atlas, Zeus, Aquiles e Mercúrio. O Capitão Marvel possui por isso poderes associados a cada uma dessas figuras mitológicas: sabedoria, força, vigor, poder, coragem e velocidade, respetivamente. Somadas, essas habilidades sobre-humanas tornam-no numa das mais poderosas personagens dos quadradinhos, rivalizando com o próprio Super-homem.

      Criado em 1939 pela dupla C.C. Beck e Bill Parker, o Capitão Marvel estreou-se no ano seguinte nas páginas de Whiz Comics nº2 com a chancela da Fawcett Comics. A história girava em torno de um adolescente órfão, Billy Batson, que é escolhido pelo mago Shazam para ser o seu campeão na Terra. Recebendo poderes divinos, o pequeno Billy transformava-se no seu alter ego adulto sempre que pronunciava a palavra mágica "Shazam". A imagem física do novo super-herói foi decalcada do ator Fred MacMurray por quem os criadores do Capitão tinham uma grande admiração. Somente a poucos dias do lançamento da revista é que o nome da nova personagem foi alterado de Capitão Trovão para Capitão Marvel.


Billy Batson e o seu alter ego adulto.
Whiz Comics nº2 (1940).

        Em 1941, a National Periodicals (precursora da DC), interpôs um processo judicial por plágio contra a Fawcett Comics. Segundo a acusação, o Capitão Marvel era uma cópia descarada do Super-homem (que se estreara 3 anos antes nas páginas de Action Comics). A batalha nos tribunais arrastou-se até 1953. Nesse ano, devido às fracas vendas dos seus títulos, a Fawcett Comics abandonou a publicação da personagem e propôs um acordo à DC. Em resultado desse acordo, o Mortal Mais Poderoso da Terra caiu no oblívio até ao início da década de 1970.
         Numa reviravolta surpreendente, em 1973 a DC adquiriu os direitos de publicação do Capitão Marvel e relançou a personagem. A nova revista, contudo, teve de se chamar SHAZAM uma vez que a rival Marvel Comics era agora a detentora da marca Captain Marvel.
         Para justificar o não envelhecimento do elenco das histórias do herói após um hiato de 20 anos, a DC inventou o Suspendium. Tratava-se de uma substância concebida pelo Dr. Silvana (um dos arqui-inimigos do Capitão) que mantivera todos em animação suspensa durante esse período de tempo.
         Quando voltou à ribalta, o Capitão Marvel ganhou um título próprio bimestral. Também continuou a ser desenhado por C.C. Beck, sendo contudo substituído ao cabo de 9 números. Em muitas das histórias então publicadas, o Capitão era coadjuvado pela Família Marvel (Mary Marvel e Capitão Marvel Jr.) e ficou convencionado que todos habitavam na Terra S, uma versão paralela do nosso planeta (que no período pré-Crise se denominava Terra 1 ou Terra Ativa). A série seria todavia cancelada no nº35 e o herói voltou a mergulhar no limbo, aparte algumas aparições pontuais noutros títulos do universo DC.
A Família Marvel: Capitão Marvel, Mary Marvel e Capitão Marvel Jr.

          A seguir à Crise nas Infinitas Terras, o Capitão Marvel foi reintegrado na cronologia da DC mas a Família Marvel foi eliminada da mesma. Em anos recentes, foram várias as tentativas de relançamento da personagem mas todas fracassaram. Mesmo quando à frente dos projetos estavam pesos-pesados dos comics como Alex Ross ou Jerry Ordway, entre outros.
         Contrastando com o seu fraco sucesso na BD, o Capitão Marvel sempre foi uma personagem muito requisitada noutros media. Logo em 1941 estrelou uma série cinematográfica em 12 episódios: The Adventures of Captain Marvel. Foi, de resto, o primeiro super-herói a ser adaptado ao grande ecrã. Foi todavia com a mítica série televisiva Shazam! (1974-77) que a personagem granjeou maior popularidade. Foram dois os atores a encarnar o herói: Jackson Bostwick e John Davey. Ao longo dos últimos anos, o Mortal Mais Poderoso da Terra participou ainda em várias séries e filmes de animação como Superman/Shazam: The Return of the Black Adam (2010).
Jackson Bostwick em "SHAZAM!".


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

HERÓIS EM AÇÃO: CAPITÃO MARVEL

  
      Intrigada com a coexistência de duas personagens homónimas em duas editoras distintas, a minha augusta esposa (cujos desejos são ordens para mim) pediu-me encarecidamente que lhe explicasse as diferenças entre os Capitães Marvel. Com efeito, como ficará patente neste texto em duas partes, aparte o nome em comum, poucas são as afinidades entre ambos. 
     Nesta primeira parte, darei a conhecer o Capitão Marvel (ou Mar-Vell) da Marvel Comics, um intrépido guerreiro kree que viveu uma miríade de aventuras cósmicas antes de ser derrotado pelo mais insidioso dos inimigos: um cancro. Ficará assim reservada para a segunda parte a biografia do Capitão Marvel (ou SHAZAM) da arquirrival DC.
      Descubram as diferenças...
Sonho de uma noite de verão: um duelo entre os dois Capitães Marvel.

Nome original: Captain Marvel ou Captain Mar-Vell
Primeira aparição: Marvel Super-heroes nº12 (dezembro de 1967)
Criadores: Stan Lee (texto) e Gene Colan (arte)
Licenciador: Marvel Comics
Identidade civil: Mar-Vell
Origem: Planeta Kree
Parentes conhecidos: Genis-Vell (filho também conhecido por Capitão Marvel II), Dorrek VIII (filho), Photon (filho) e Phyla-Vell (filha falecida que também assumiu a identidade de Capitã Marvel e Quasar)
Filiação: Ex-membro honorário dos Vingadores
Poderes e habilidades: Originalmente, o Capitão Marvel não possuía qualquer superpoder, exceto a força ampliada dos krees, resultante de uma evolução genética provocada pela gravidade superior do seu mundo natal. O ADN do Capitão foi, todavia, alterado por uma radioterapia a que foi submetido na Terra. Passou assim a poder absorver energia solar e a convertê-la em várias formas de luz e energia. Entre o seu vasto leque de poderes, destacam-se a supervelocidade, o voo, a invulnerabilidade, as rajadas fotónicas e a consciência cósmica (uma espécie de sexto sentido cósmico que lhe permite ter premonições). Na sua qualidade de ex-guerreiro kree, Mar-Vell é também um exímio lutador e estratega. Dispõe ainda de umas braceletes que lhe permitem, entre outras coisas, trocar de átomos  com outrem e assim viajar entre dimensões.

Biografia: Sem mais delongas, aqui fica a tão esperada resposta à pergunta milionária "Como podem haver dois Capitães Marvel sem violação dos respetivos direitos autorais?". A explicação é simples: depois de um processo judicial interposto pela Detective Comics (DC) na década de 1940 à extinta editora Fawcett Comics, esta deixou de publicar o primeiro Capitão Marvel. Ficou assim aberto o caminho para a criação de uma personagem homónima por parte da Marvel Comics em 1967, forçando a DC a rebatizar o "seu" Capitão Marvel (cujos direitos de publicação adquirira entretanto) de SHAZAM. Por sua vez, a Marvel, a fim de manter a marca registada, ficou obrigada a lançar um título do Capitão Marvel a cada dois anos (assim se explicando a proliferação de personagens que já usaram esse nome).
               Quanto à origem propriamente dita do herói alienígena, este é originário do planeta Kree onde a grande maioria dos habitantes nasce com uma pele azulada, sendo por isso raros os caucasianos. Como tal, são frequentemente discriminados. O que não impediu Mar-Vell de vencer o preconceito e de ser tornar um respeitado soldado ao serviço do Império Kree. Foi aliás esse estatuto que o levou a ser destacado pelos seus superiores para uma missão à Terra. O objetivo era estudar o nosso planeta após a chegada dos humanos à Lua. Entre os membros da missão, contudo, havia alguém que desejava a morte de Mar-Vell. Tratava-se de Yon-Rogg que, cego de ciúmes do amor que unia Mar-Vell à bela Una, abriu fogo sobre a nave do rival. Mar-Vell escapou ileso mas o disparo causou a morte acidental do Professor Walter Lawson. Dadas as parecenças físicas com o humano, Mar-Vell assumiu a sua identidade e passou a atuar na Terra como super-herói.
O visual original de Mar-Vell.
             Depois de ajudar várias vezes a Humanidade, Mar-Vell foi acusado de traição pelo Império Kree e sentenciado à morte. Consegue, todavia, escapar e fica 112 dias à deriva no espaço. Fraco e à beira da loucura, Mar-Vell é manipulado por Ronan, o Acusador Kree e por um ministro kree no sentido de colaborar num plano para derrubar a Suprema Inteligência que governa o seu mundo natal. Após o fracasso da conjura, Mar-Vell tentar regressar à Terra mas é atingido por uma explosão de radiação que o lança na Zona Negativa (uma dimensão paralela composta de antimatéria). Lá permanece até conseguir comunicar telepaticamente com Rick Jones (ex-parceiro do Hulk). Guiado pelo herói, Rick encontra as braceletes do Capitão que lhes permite trocar de lugar durante um período máximo de 3 horas.
            Já com Jim Starlin à frente dos destinos da personagem, o Capitão Marvel liberta-se da Zona Negativa, ganha maiores poderes e também um novo uniforme. Ao lado dos Vingadores, enfrentou Thanos, um dos mais poderosos vilões do universo.     
          Após inúmeras batalhas, Mar-Vell retorna à Terra e tem o primeiro encontro com Nitro. Ao tentar conter uma explosão causado pelo vilão, o Capitão é exposto a um poderoso gás que abala os nervos chamado Composto 13. Mar-Vell entra em colapso devido à exposição ao gás, mas recupera-se e recebe um antídoto. Esse episódio, no entanto, ditaria a morte do herói algum tempo depois.
        Numa magnífica graphic novel  intitulada justamente, "A morte do Capitão Marvel" (da autoria de Jim Starlin e sobre a qual prometo falar aqui em breve),  o herói kree acaba por perder a sua derradeira batalha contra um cancro. No leito da morte, recebe o tributo tanto de amigos como de inimigos.
A despeito dos seus poderes, o Capitão Marvel perdeu a batalha contra o cancro.
         A seguir: A atribulada história do Capitão Marvel da DC.