clique aqui e encontre um template com a sua cara - template for blogger»

terça-feira, 26 de junho de 2012

DO FUNDO DO BAÚ

    Todd McFarlane escreveu e desenhou, em 1990, uma das mais emblemáticas histórias do Homem-Aranha das últimas décadas. Publicada, um par de anos volvidos, no Brasil pela Abril Jovem, sob a forma de uma minissérie em duas edições, "Tormento" apresenta um dos mais brutais confrontos entre o herói aracnídeo e um selvático Lagarto como nunca antes visto.


Título: Tormento (volume 1)
Data: Março de 1992
Licenciadora: Marvel Comics
Editora: Abril Jovem
Número de páginas: 60
Formato: Americano (17,5 cm x 26 cm ), colorido, lombada agrafada.
Argumento e arte: Todd McFarlane
Publicado originalmente em: Spider-Man nº 1, 2 e 3 (1990)
Sinopse: Uma misteriosa feiticeira, chamada Calypso, conduz um estranho ritual vudu que coloca o Lagarto sob o seu domínio. Mais feroz do que nunca, a criatura deixa um rasto de sangue atrás de si enquanto procura a origem do persistente latejar na sua cabeça. Em menos de 48 horas, várias pessoas são brutalmente chacinadas pelo alter ego do Dr. Curt Connors. O que atrai a atenção dos media e também do Escalador de Paredes, que decide investigar os crimes.
               Entretanto, Calypso, usando como ingredientes uma aranha, um réptil e cinzas humanas, prepara uma poção mágica com que embebe as garras do Lagarto. Nessa noite, o Homem-Aranha é atacado pela seu velho inimigo quando partrulhava Nova Iorque. Durante a escaramuça, o Lagarto arranha o peito do Escalador de Paredes com as suas garras envenenadas. Quase de imediato, a droga começa a afetá-lo, fazendo-o vacilar. No feroz combate que se segue, o Homem-Aranha percebe que o Lagarto está mais irracional do que nunca, não havendo nele qualquer resquício da personalidade de Connors. Resultando por isso infrutífera a sua tentativa de dialogar com o monstro. À mercê do vilão - que se preparava para lhe rasgar a jugular - o Homem-Aranha é salvo por Calypso que prefere mantê-lo vivo a fim de prolongar  o seu sofrimento.
              Ferido e drogado, o Homem-Aranha acorda, horas depois, em cima de um monte de lixo num beco esconso.




Título: Tormento (volume 2)
Data: Abril de 1992
Licenciadora: Marvel Comics
Editora: Abril Jovem
Número de páginas: 60
Formato: Americano (17,5 cm x 26 cm), colorido, lombada agrafada.
Argumento e arte: Todd McFarlane
Publicado originalmente em: Spider-Man nº4 e 5 (1990)
Sinopse: Com o veneno de Calypso a correr-lhe nas veias, um Homem-Aranha febril e alucinado acredita estar a enfrentar Kraven, o Caçador, um dos seus mais perigosos némesis. Recorda uma das  mais marcantes batalhas entre ambos, na qual acabou enterrado vivo pelo vilão. Concentrando-se nas suas memórias da sua amada esposa Mary Jane, o Escalador de Paredes consegue por fim libertar-se das alucinações. Tenta, em vão, mais uma vez alcançar a mente do Dr. Connors. Nada parece, porém, restar do seu velho amigo no interior da fera sanguinolenta que tem perante si. Segue-se nova peleja e, na confusão, os braseiros de Calypso tombam, provocando um incêndio no prédio onde o trio se encontra. Irrompe uma violenta explosão que soterra o herói aracnídeo e o seu oponente. Ambos sobrevivem, porém. Ao emergir dos destroços, o Escalador de Paredes divisa uma ensandecida Calypso a dançar entre as ruínas fumegantes. O Lagarto, entretanto, lança um novo ataque mas o Homem-Aranha consegue prendê-lo com a ajuda de umas correntes. Com o prédio prestes a colapsar, o Escalador de Paredes mal tem tempo de fugir. Calypso e o Lagarto são soterrados. Quando as equipas de emergência chegam ao local, não encontram sinais dos corpos de nenhum deles. Exausto, o Homem-Aranha volta para junto de Mary Jane ao mesmo tempo que se interroga sobre os motivos que moviam Calypso contra ele e quanto a uma eventual ligação a Kraven.

Nota: Adquiri em meados de 1993 o primeiro volume desta minissérie. Contudo, só no início deste ano consegui obter a segunda parte e finalmente pude ler a história completa. Mais vale tarde do que nunca.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

NÉMESIS: LAGARTO




       Escolhido para ser o vilão de serviço no novíssimo filme do Homem-Aranha, o Lagarto é um dos seus mais antigos e implacáveis inimigos. Já o seu alter ego, Dr. Curtis Connors, é um velho amigo e ex-professor de Peter Parker.

Nome original:  Lizard
Primeira aparição: Amazing Spider-Man vol.1 nº6 (novembro 1963)
Criadores: Stan Lee e Steve Ditko
Licenciadora: Marvel Comics
Identidade civil: Curtis "Curt" Connors
Origem: Coral Gables, Florida
Parentes conhecidos:  Martha (esposa falecida) e Billy (filho)
Filiação: Ex-membro dos Doze Sinistros (Sinister Twelve)
Base de operações: Nova Iorque
Poderes e habilidades: Embora dotado de um Q.I. muito acima da média, o nível de inteligência do Dr. Connors, quando transformado em Lagarto, varia. Na maior parte das vezes, a criatura possui um grau de inteligência médio mas também já surgiu irracional. Com força, resistência, agilidade e velocidade equivalentes às do Escalador de Paredes, o Lagarto, também pela sua ferocidade, é um oponente temível. Ainda para mais dispondo de dentes e garras aguçados, bem como de uma longa cauda capaz de desferir golpes a mais de 100 km/h. A mesma que, quando cortada, se regenera quase de imediato, assim como qualquer outra parte do seu corpo. O Lagarto consegue ainda controlar telepaticamente répteis e, recentemente, desenvolveu a capacidade de produzir feromonas que despertam instintos violentos nos humanos. Devido à sua condição de animal de sangue frio, o Lagarto enfraquece quando prolongadamene exposto a altas temperaturas.

O primeiro confronto entre o herói aracnídeo e o Lagarto em The Amazing Spider-Man nº6 (1963).

Biografia: Reputado cirurgião, o doutor Curtis Connors foi destacado para a guerra do Vietname onde operou inúmeros soldados norte-americanos feridos em combate. Quando um dos seu braços foi amputado, devido ao ferimento causado por uma explosão, Connors tornou-se obcecado com as capacidades regenerativas dos répteis e passou a estudar intensivamente herpetologia no seu laboratório nos pântanos de Everglades (Florida). Em resultado da sua investigação, desenvolveu um soro produzido através do ADN de um réptil. Com ele conseguiu recuperar o membro decepado de um coelho e, a despeito dos avisos da mulher, Connors resolveu testar o soro em si próprio. Depois de ingeri-lo, o seu braço amputado voltou a crescer. Houve, no entanto, um efeito colateral inesperado: Connors transformou-se num monstruoso lagarto gigante.
                Ao tomar conhecimento dos catastróficos resultados das experiências do Dr. Connors, o Homem-Aranha viajou até à Florida, munido das anotações do seu ex-professor na Universidade Empire State.  Durante algum tempo, Peter Parker trabalhara nessa instituição como assistente do Dr. Connors, daí resultando laços de amizade entre ambos. No entanto, o melhor que o seu ex-pupilo conseguiu foi inventar um antídoto temporário para a atual condição de Connors. Embora revertida a transformação, a mesma passou a ser espoletada, de tempos em tempos,  em resultado do stresse ou de uma qualquer reação química operada no organismo de Connors. Sempre que tal sucedia, o Homem-Aranha via-se forçado a enfrentar o Lagarto.
                Com o tempo, uma segunda personalidade parece ter-se desenvolvido no Lagarto, a qual ambicionava conquistar o mundo com a ajuda de um exército de répteis. Após o fracasso desse projeto, o Lagarto voltou a trabalhar sozinho.


               Quando a sua mulher e filho o abandonaram (devido à ameaça que representava o seu alter ego), Connors tentou em vão endireitar a sua vida. Em desespero, o Lagarto assumiu o controlo, não obstante a sua fraca força mental. Isso permitiu que fosse dominado pelo vudu da misteriosa Calypso, que usou a criatura para os seus próprios propósitos (eventos mostrados na minissérie em duas edições "Tormento", publicada no Brasil pela Abril Jovem em 1992). No final de uma série de recontros sangrentos, o Lagarto e Calypso foram derrotados pelo Homem-Aranha e Connors conseguiu retomar o controlo da mente da fera.  Mais uma vez, a transformação foi revertida mas apenas temporariamente.
                Algum tempo volvido, um Lagarto totalmente irracional surgiu, levando a crer que a personalidade da fera era agora permanente. Porém, quando esta segunda versão da criatura foi no encalço de Connors, este ingeriu o soro original, transformando-se uma vez mais no verdadeiro Lagarto. Para salvar o seu filho, o Lagarto matou o impostor. Em nova tentativa de obter uma cura para a sua condição, o Doutor Connors testara em segredo uma nova fórmula do seu soro num pedaço da cauda do Lagarto, o que resultou na formação desta segunda criatura. No desfecho destes acontecimentos, Connors e a esposa voltaram a juntar-se.
               O idílio familiar, porém, seria de curta duração. Uma vez mais a tragédia abateu-se sobre a família Connors. Desta vez sobre Martha e Billy que, após anos de exposição a produtos cancerígenos, viram-lhes ser diagnosticado cancro a ambos. Apesar dos esforços conjuntos do Homem-Aranha e do Doutor Connors, Martha acabaria por sucumbir à doença. Billy, por sua vez, sobreviveu mas culpa o pai pelo sucedido.

Noutros media: A primeira vez que o Lagarto saltou dos quadradinhos para a televisão foi em 1967, num episódio da série animada Spider-Man, no qual foi apresentado como o Homem-lagarto. Também o apelido do seu alter ego foi substituído por Conner. Outro facto curioso é que, o Dr. Connors surge com ambos os braços. Talvez a fim de evitar o tema da amputação de membros numa série cujo público-alvo eram crianças. Seguiram-se várias aparições do vilão em outras tantas séries de animação estreladas pelo aranhiço: Spider-Man (1981), Spider-Man: The Animated Series (1994), Spider-Man: The New Animated Series (2003), The Spectacular Spider-Man (2008) e Ultimate Spider-Man (2012).
                          Na trilogia cinematográfica do Homem-Aranha (2002-2007), o Dr. Connors é mencionado no primeiro filme e surge no segundo e no terceiro, interpretado por Dylan Baker. Já em The Amazing Spider-Man (estreia a 5 de julho nos cinemas nacionais), o vilão, encarnado por Rhys Ifans, será o principal antagonista de um jovem Escalador de Paredes em início de carreira.

Será este o aspeto do Lagarto no novo filme do Homem-Aranha.